icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/11/2014
11:00

Rogério Ceni continua preparando o São Paulo para sua aposentadoria. Como tem sido rotina nas últimas partidas, o goleiro estimulou o surgimento de mais um líder no grupo durante a derrota por 3 a 2 para o Emelec (EQU), na noite da última quarta-feira. Na classificação suada à semifinal da Copa Sul-Americana, o capitão tricolor foi Denilson.

Desfalque no jogo de ida com os equatorianos devido à expulsão contra o Huachipato (CHI), o volante retornou à equipe na última quarta-feira e foi presenteado com a braçadeira. Além de cumprir o ritual da troca de fâmulas e do cara ou coroa com o capitão rival, o camisa 15 se sobressaiu na marcação no meio de campo e comandou os companheiros em campo.

Antes de Denilson, outros três jogadores do São Paulo receberam a "honraria" de Ceni: Kaká, Paulo Henrique Ganso e Alvaro Pereira. O primeiro usou a faixa de capitão contra o Vitória, no primeiro turno do Campeonato Brasileiro, em jogo que marcou seu retorno ao Morumbi como atleta tricolor após 11 anos.

Já Alvaro Pereira foi premiado pelo esforço feito para deixar o Oriente Médio, onde defendia a seleção do Uruguai, e se juntar ao elenco são-paulino no Chile para encarar o Huachipato. No último domingo, na vitória por 2 a 1 sobre o Criciúma no Heriberto Hülse, foi Ganso que ostentou a braçadeira e conduziu os jogadores em campo.