icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/07/2013
14:12

Sebastián Eguren ainda não se sente confortável para falar em português em frente às câmeras. Apresentado nesta quarta-feira pelo Palmeiras, o volante mostrou entender a lingua quando recebia perguntas dos jornalistas, mas respondeu sempre em espanhol na sua chegada. A facilidade de entendimento se deu por um motivo: o atleta é fã de bandas do rock brasileiro, as quais ouviu em sua adolescência. 

- Ouvia na minha adolescência Legião Urbana, Titãs, Cássia Eller, agora vou escutar também o que o pessoal ouve no vestiário. Não estou muito acostumado, mas estou sendo apresentado (risos) - afirmou o novo camisa 4 alviverde.

Aos 32 anos, o meio-campista já atuou na Suécia, Espanha e Paraguai antes de desembarcar no Brasil. Sem medo da adaptação, o jogador da Celeste considera que sua experiência será um fator importante na chegada.

Eguren vestiu a camisa 4 na sua chegada (Foto: Reginaldo Castro/LANCE!Press)

- Estou há quase dez anos fora do meu país, passei pela Europa, e me adaptei bem, em condições mais difíceis e ainda mais jovem. A adaptação será normal, é um grupo aberto pelo o que vi. É um elenco jovem, que me recebeu bem e isto facilita muito - acrescentou.

Apesar de falar espanhol, assim como Valdivia e Mendieta, Eguren neste seu começo de trajetória pelo Verdão não está "preso" aos gringos. André Luiz, jogador que atuou por oito anos no Nancy, da França, é um dos mais próximos do uruguaio até agora, por conta de amigos em comum.

- Eu e o André Luiz temos companheiros em comum, que jogaram com ele no Nancy. Não dá para falar ainda em português, tenho um pouco de vergonha, mas já ouvi muito e isto facilitou um pouco para conversar. Quem sabe algum dia poderei conversar em português com vocês - completou o novo reforço alviverde.

Sebastián Eguren ainda não se sente confortável para falar em português em frente às câmeras. Apresentado nesta quarta-feira pelo Palmeiras, o volante mostrou entender a lingua quando recebia perguntas dos jornalistas, mas respondeu sempre em espanhol na sua chegada. A facilidade de entendimento se deu por um motivo: o atleta é fã de bandas do rock brasileiro, as quais ouviu em sua adolescência. 

- Ouvia na minha adolescência Legião Urbana, Titãs, Cássia Eller, agora vou escutar também o que o pessoal ouve no vestiário. Não estou muito acostumado, mas estou sendo apresentado (risos) - afirmou o novo camisa 4 alviverde.

Aos 32 anos, o meio-campista já atuou na Suécia, Espanha e Paraguai antes de desembarcar no Brasil. Sem medo da adaptação, o jogador da Celeste considera que sua experiência será um fator importante na chegada.

Eguren vestiu a camisa 4 na sua chegada (Foto: Reginaldo Castro/LANCE!Press)

- Estou há quase dez anos fora do meu país, passei pela Europa, e me adaptei bem, em condições mais difíceis e ainda mais jovem. A adaptação será normal, é um grupo aberto pelo o que vi. É um elenco jovem, que me recebeu bem e isto facilita muito - acrescentou.

Apesar de falar espanhol, assim como Valdivia e Mendieta, Eguren neste seu começo de trajetória pelo Verdão não está "preso" aos gringos. André Luiz, jogador que atuou por oito anos no Nancy, da França, é um dos mais próximos do uruguaio até agora, por conta de amigos em comum.

- Eu e o André Luiz temos companheiros em comum, que jogaram com ele no Nancy. Não dá para falar ainda em português, tenho um pouco de vergonha, mas já ouvi muito e isto facilitou um pouco para conversar. Quem sabe algum dia poderei conversar em português com vocês - completou o novo reforço alviverde.