icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Marcio Porto
icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Marcio Porto
21/07/2013
09:22

O sonho de boa parte da torcida santista era rever o ídolo Robinho vestindo novamente a camisa 7 alvinegra, com a qual ele se consagrou. No entanto, a volta do Rei do Drible à Vila Belmiro não aconteceu, mas o número vem sendo usado e bem representado por um outro menino da Vila, o jovem meia Leandrinho, de 19 anos.

Titular desde que o técnico Claudinei Oliveira assumiu o comando do Peixe, em junho, o garoto vem dando conta do recado. Além de já ter anotado um gol, ele tem tido boas atuações, tanto no apoio ao ataque, como na marcação. Neste domingo, contra o Coritiba, às 16h, na Vila Belmiro, ele tem outro teste e espera provar que merece vestir a gloriosa camisa 7.

– O torcedor pode ficar tranquillo, a cada jogo vou mostrar meu futebol. O Robinho é um craque, não é mesma posição, mas estou tranquilo e espero honrar o número – afirmou o jogador, ao LANCE!Net.

Se dentro de campo Leandrinho mostra confiança e maturidade, na hora de dar entrevista o que se vê é o oposto. Tímido, ele economiza palavras e mostra acanhamento. Mesmo assim, tem na ponta língua o motivo pela boa fase dele e do time.

– A equipe agora está muito confiante, entrosada, pois tempo para treinar. A cada jogo estamos mostrando que craque ganha jogo, mas grupo ganha campeonato – disse.

Sobre a dúvida do torcedor se é possível brigar pelo título sem Neymar, Leandrinho garante que sim.

– Ele é gênio, mas após a saída dele estamos provando que, unidos, podemos dar muita alegria à torcida.

Bate-bola com Leandrinho, em entrevista ao LANCE!Net

Você vem sendo titular com o técnico Claudinei. Como está esse seu momento no Santos?
É uma fase muito importante da minha carreira, estou começando agora, espero ter sequência e dar muitas alegrias à torcida.

Como você lida com a pressão?
Com certeza a pressão sempre vai ter em time grande, mas estamos preparado e jogo a jogo vamos mostrar que temos condição.

Mesmo com esse bom momento, você mantém a humildade...
A minha infância foi de família muito humilde, sempre na batalha. Passando o tempo, fui conseguindo alcançar meus objetivos e agora estou aqui no profissional do Santos.

O que mudou depois do golaço que marcou contra o Crac?
Foi meu primeiro gol como profissional e foi até difícil dormir naquela noite. Não tinha caído a ficha até as 5h, foi um golaço, e espero poder ajudar mais o time.

Como se define em campo?
Sem a bola abro para marcar, com a bola o Claudinei manda eu me movimentar. Sou um jogador bem versátil, jogo como volante e terceiro homem mais à frente, e me sinto à vontade nas duas posições.

O sonho de boa parte da torcida santista era rever o ídolo Robinho vestindo novamente a camisa 7 alvinegra, com a qual ele se consagrou. No entanto, a volta do Rei do Drible à Vila Belmiro não aconteceu, mas o número vem sendo usado e bem representado por um outro menino da Vila, o jovem meia Leandrinho, de 19 anos.

Titular desde que o técnico Claudinei Oliveira assumiu o comando do Peixe, em junho, o garoto vem dando conta do recado. Além de já ter anotado um gol, ele tem tido boas atuações, tanto no apoio ao ataque, como na marcação. Neste domingo, contra o Coritiba, às 16h, na Vila Belmiro, ele tem outro teste e espera provar que merece vestir a gloriosa camisa 7.

– O torcedor pode ficar tranquillo, a cada jogo vou mostrar meu futebol. O Robinho é um craque, não é mesma posição, mas estou tranquilo e espero honrar o número – afirmou o jogador, ao LANCE!Net.

Se dentro de campo Leandrinho mostra confiança e maturidade, na hora de dar entrevista o que se vê é o oposto. Tímido, ele economiza palavras e mostra acanhamento. Mesmo assim, tem na ponta língua o motivo pela boa fase dele e do time.

– A equipe agora está muito confiante, entrosada, pois tempo para treinar. A cada jogo estamos mostrando que craque ganha jogo, mas grupo ganha campeonato – disse.

Sobre a dúvida do torcedor se é possível brigar pelo título sem Neymar, Leandrinho garante que sim.

– Ele é gênio, mas após a saída dele estamos provando que, unidos, podemos dar muita alegria à torcida.

Bate-bola com Leandrinho, em entrevista ao LANCE!Net

Você vem sendo titular com o técnico Claudinei. Como está esse seu momento no Santos?
É uma fase muito importante da minha carreira, estou começando agora, espero ter sequência e dar muitas alegrias à torcida.

Como você lida com a pressão?
Com certeza a pressão sempre vai ter em time grande, mas estamos preparado e jogo a jogo vamos mostrar que temos condição.

Mesmo com esse bom momento, você mantém a humildade...
A minha infância foi de família muito humilde, sempre na batalha. Passando o tempo, fui conseguindo alcançar meus objetivos e agora estou aqui no profissional do Santos.

O que mudou depois do golaço que marcou contra o Crac?
Foi meu primeiro gol como profissional e foi até difícil dormir naquela noite. Não tinha caído a ficha até as 5h, foi um golaço, e espero poder ajudar mais o time.

Como se define em campo?
Sem a bola abro para marcar, com a bola o Claudinei manda eu me movimentar. Sou um jogador bem versátil, jogo como volante e terceiro homem mais à frente, e me sinto à vontade nas duas posições.