icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Guilherme Amaro
icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Guilherme Amaro
03/07/2013
06:00

A negociação entre Santos e Robinho pode evoluir nos próximos dias. Isso porque o clube deixou de negociar com o empresário italiano Mino Raiola e passou a tratar com a advogada Marisa Ramos, representante do jogador no Brasil. Ela diz que o agente não tinha autoridade para tratar dos interesses do atacante e nega que ele tenha pedido R$ 1,2 milhão por mês ao Peixe.

– Ele aceita ganhar bem menos que isso para voltar ao Santos, está ciente de que precisa reduzir o salário atual – afirmou, ao LANCE!Net.

O Santos tratava com Mino havia mais de um mês. O empresário, um dos mais influentes do meio futebolístico, também representava o Milan nas negociações e comunicou a diretoria alvinegra que os italianos desejavam receber 10 milhões de euros (cerca de R$ 29 mi) pela transferência do Rei do Drible. Os valores foram rechaçados pelo Peixe.

Semana passada, no entanto, o vice-presidente santista Odílio Rodrigues entrou em contato com Marisa Ramos, que, assim como Robinho, estava bem irritada com Mino. Segundo a advogada, apenas ela e Gilvan de Souza, pai do atacante, têm procuração para negociar por ele.

– Quando o filho é bonito, todo mundo quer criar. Eu vi o Mino uma vez, mas não temos amizade. Quem cuida das coisas do Robinho sou eu e a Marisa – disse Gilvan, ao LANCE!Net.

A versão do Peixe é outra.

– Negociamos com o Mino Raiola pois o próprio Robinho nos indicou. Se ele não o representa, aí já não é problema nosso – falou Odílio, que não deu detalhes das tratativas.

Após a consulta do Santos, Marisa viajou à Itália. Ela já está em Milão e deverá se reunir com a diretoria rossonera nos próximos dias.

Com contrato até agosto de 2014, Robinho deseja voltar a jogar no Brasil. Ele acredita que terá mais visibilidade aqui e, se for bem, pode até brigar por uma vaga na Seleção na Copa do Mundo, ano que vem.

O Milan também está disposto a negociá-lo, mas a transferência só vai ocorrer se diminuir consideravelmente o que pede. Por Robinho ter 29 anos e estar próximo do fim do contrato, a diretoria santista acredita que ele vale bem menos do que os italianos querem. A confiança é de que, havendo acordo com os rossoneros, o jogador aceitará reduzir o salário e chegará ao que o Peixe aceita pagar (até R$ 800 mil).

Sem Mino, a novela ganha novos personagens. Mas ainda parece longe de um capítulo final.

Bate-Bola com: Marisa Alija Ramos, procuradora de Robinho

O Santos te procurou para abrir negociação com o Robinho?
O vice-presidente Odílio Rodrigues me ligou na semana passada para ver a situação do Robinho. Essa foi a primeira vez que o clube me procurou diretamente.

Mas o Mino Raiola estava vendo a negociação...
Somente eu e o pai do Robinho temos autorização de negociar pelo atacante. Se outra pessoa negociou, não está autorizada.

O que o Robinho achou dessa história? Acha que desgastou a relação dele com o clube?
Ele ficou muito chateado de ter visto que o presidente falou um determinado valor, sendo que não é o pedido por ele, mas acho que não chega a desgastar essa história dele com o Santos. O Robinho e o Milan nunca pediram esses valores. Se falaram esse preço, não sei para onde que o dinheiro vai, mas não é para o Robinho e para o Milan.

E como fica a situação agora?
Já estava com uma viagem pré-agendada e cheguei a Milão hoje (ontem). Depois de saber o interesse real do Santos, eu vou conversar com o Milan nos próximos dias.

A negociação entre Santos e Robinho pode evoluir nos próximos dias. Isso porque o clube deixou de negociar com o empresário italiano Mino Raiola e passou a tratar com a advogada Marisa Ramos, representante do jogador no Brasil. Ela diz que o agente não tinha autoridade para tratar dos interesses do atacante e nega que ele tenha pedido R$ 1,2 milhão por mês ao Peixe.

– Ele aceita ganhar bem menos que isso para voltar ao Santos, está ciente de que precisa reduzir o salário atual – afirmou, ao LANCE!Net.

O Santos tratava com Mino havia mais de um mês. O empresário, um dos mais influentes do meio futebolístico, também representava o Milan nas negociações e comunicou a diretoria alvinegra que os italianos desejavam receber 10 milhões de euros (cerca de R$ 29 mi) pela transferência do Rei do Drible. Os valores foram rechaçados pelo Peixe.

Semana passada, no entanto, o vice-presidente santista Odílio Rodrigues entrou em contato com Marisa Ramos, que, assim como Robinho, estava bem irritada com Mino. Segundo a advogada, apenas ela e Gilvan de Souza, pai do atacante, têm procuração para negociar por ele.

– Quando o filho é bonito, todo mundo quer criar. Eu vi o Mino uma vez, mas não temos amizade. Quem cuida das coisas do Robinho sou eu e a Marisa – disse Gilvan, ao LANCE!Net.

A versão do Peixe é outra.

– Negociamos com o Mino Raiola pois o próprio Robinho nos indicou. Se ele não o representa, aí já não é problema nosso – falou Odílio, que não deu detalhes das tratativas.

Após a consulta do Santos, Marisa viajou à Itália. Ela já está em Milão e deverá se reunir com a diretoria rossonera nos próximos dias.

Com contrato até agosto de 2014, Robinho deseja voltar a jogar no Brasil. Ele acredita que terá mais visibilidade aqui e, se for bem, pode até brigar por uma vaga na Seleção na Copa do Mundo, ano que vem.

O Milan também está disposto a negociá-lo, mas a transferência só vai ocorrer se diminuir consideravelmente o que pede. Por Robinho ter 29 anos e estar próximo do fim do contrato, a diretoria santista acredita que ele vale bem menos do que os italianos querem. A confiança é de que, havendo acordo com os rossoneros, o jogador aceitará reduzir o salário e chegará ao que o Peixe aceita pagar (até R$ 800 mil).

Sem Mino, a novela ganha novos personagens. Mas ainda parece longe de um capítulo final.

Bate-Bola com: Marisa Alija Ramos, procuradora de Robinho

O Santos te procurou para abrir negociação com o Robinho?
O vice-presidente Odílio Rodrigues me ligou na semana passada para ver a situação do Robinho. Essa foi a primeira vez que o clube me procurou diretamente.

Mas o Mino Raiola estava vendo a negociação...
Somente eu e o pai do Robinho temos autorização de negociar pelo atacante. Se outra pessoa negociou, não está autorizada.

O que o Robinho achou dessa história? Acha que desgastou a relação dele com o clube?
Ele ficou muito chateado de ter visto que o presidente falou um determinado valor, sendo que não é o pedido por ele, mas acho que não chega a desgastar essa história dele com o Santos. O Robinho e o Milan nunca pediram esses valores. Se falaram esse preço, não sei para onde que o dinheiro vai, mas não é para o Robinho e para o Milan.

E como fica a situação agora?
Já estava com uma viagem pré-agendada e cheguei a Milão hoje (ontem). Depois de saber o interesse real do Santos, eu vou conversar com o Milan nos próximos dias.