icons.title signature.placeholder Fábio Suzuki e Rodrigo Vessoni
07/02/2015
17:15

Até fevereiro de 2018, o Corinthians continuará nas mãos da chapa Renovação & Transparência. Neste sábado, o candidato da situação, Roberto de Andrade, obteve 1.848 votos, contra 1.393 de Antonio Roque Citadini (houve 13 votos em branco e 22 abstenções, quem assinou, mas não votou). A oposição já havia perdido os pleitos de 2007, 2009 e 2012. Na eleição da chapa fechada de 200 conselheiros trienais, nova vitória de Roberto, Jorge Kalil (vice), André Negão (vice) e sua turma: 1.817 votos contra 1.413 da Pró-Corinthians, além de 24 votos em brancos.

Apesar do cenário negativo dos últimos meses, consequência da piora significativa da situação financeira do clube, o grupo Renovação & Transparência não deixou que a chapa oposicionista evitasse o tetracampeonato nas urnas. A votação realizada no miniginásio do Parque São Jorge ocorreu por meio de urnas eletrônicas. Com isso, a apuração foi rápida.

Ao longo do dia, não foram registrados grandes incidentes. Algumas discussões mais ríspidas entre sócios, mas resolvidas com rapidez. Houve quem tentasse votar sem condição legal - inadimplência e/ou menos de cinco anos de vínculo com o clube -, mas também sem grandes transtornos ou consequências.

Roberto de Andrade terá enormes desafios pela frente, entre eles, a quitação da primeira parcela da Arena Corinthians, a estruturação da parte comercial do estádio, deixada de lado por Andrés Sanchez & Cia., além da manutenção de uma equipe forte, que buscará o bicampeonato da Libertadores. Mas não será só isso...

Pelo contrário. Melhora da infraestrutura para as categorias de base também farão parte do dia a dia do novo mandatário que, entre fevereiro de 2012 e dezembro de 2013, trabalhou como diretor de futebol, dando suporte ao técnico Tite, que voltou ao comando da equipe.


O TETRACAMPEONATO

Foi o quarto triunfo consecutivo da chapa de situação. No dia 9 de outubro de 2007, foi necessário que o Conselho Deliberativo escolhesse o substituto de Alberto Dualib, que sofrera impeachment dias antes, para um mandato tampão até início de 2009. Ex-vice de futebol, Andrés Sanchez foi eleito com 175 votos. O então diretor da CBF venceu Paulo Garcia, que obteve 158. Osmar Stábile, naquele pleito, somou apenas 14 votos. A eleição registrou ainda três abstenções.

O mandatário eleito, então, colocou Heleno Maluf como seu vice, Clodomil Orsi e Wilson Bento continuaram por serem vice-presidentes eleitos. Com poucos jogos para o término do Brasileirão e com as inscrições de novos jogadores encerradas, o rebaixamento da equipe não pôde ser evitado. No dia 2 de dezembro, o clube chegava ao fundo do poço, individado, nas páginas policiais, com elenco fraco e na Segunda Divisão.

Andrés e sua turma remontaram a equipe e, com uma estratégia agressiva no departamento de marketing, recolocaram o clube na Série A. Na sequência, viria a contratação de Ronaldo Fenômeno, que findaria as chances da oposição nas eleições de fevereiro de 2009, a primeira da história por meio da escolha dos associados, e não apenas do Conselho. Andrés Sanches, com 1.615 votos (66,9%), não deu chances para Paulo Garcia, que terminou com 586 votos (24,3%), e muito menos para Osmar Stábile, que obteve apenas 214 votos (8,8%).

Em fevereiro de 2012, o tricampeonato da chapa Renovação & Transparência, com uma vitória mais apertada de Mário Gobbi Filho, por 1.920 votos contra 1.280 de Paulo Garcia. Além disso, foram 24 votos nulos e 13 em branco. Na eleição da chapa fechada de 200 conselheiros, nova vitória de Andrés e sua turma: 1852 votos contra 1242 da Pró-Corinthians, com outros 113 em branco e 30 nulos.

Na eleição deste sábado, os dois adversários da oposição estiveram juntos, lado a lado, na mesma chapa. Porém, nem assim, conseguiram evitar que Roberto de Andrade fosse escolhido como o sucessor de Mário Gobbi Filho.

CONFIRA A FICHA DO NOVO PRESIDENTE DO TIMÃO:

NOME: Roberto de Andrade Souza.
CHAPA: “Renovação e Transparência”, número 10. Tem como candidatos a vice André Luiz de Oliveira, o André Negão, e Jorge Kalil. É a chapa que está no poder desde outubro de 2007, com Andrés Sanchez e Mário Gobbi Filho.
NO CLUBE: É conselheiro vitalício. Foi vice de Andrés Sanchez desde o pleito de 2009 e assumiu o departamento de futebol como diretor no fim de 2010, dando sequência ao trabalho na gestão de Gobbi, ao lado de Duílio Monteiro Alves. Afastou-se em fevereiro do ano passado para cuidar da candidatura presidencial.

FALA, PRESIDENTE!

'Avançamos muito e não podemos parar'

"Sozinho não faço nada, por isso não falo por mim. Faço parte de um grupo que está no Corinthians desde 2007 e que conquistou muito pelo clube. É inegável o que o clube mudou de lá para cá. Cresceu de uma forma assustadora para todo mundo. Sempre sonhamos ter um estádio e ele existe hoje. Precisávamos de um CT decente e hoje temos um dos melhores que existem. Esse grupo do qual faço parte merece seguir no comando do Corinthians por mais três anos para continuar levando o Corinthians a avançar cada vez mais. Não podemos parar, temos de continuar numa velocidade ainda maior do que já fizemos até agora"