icons.title signature.placeholder João Pires
icons.title signature.placeholder João Pires
10/07/2013
16:35

Diante de todo o problema envolvendo o comando da Seleção Brasileira de beach soccer, com a Confederação Brasileira de Beach Soccer (CBBS) e a CBF envolvidas em um conflito pela administração, o goleiro Robertinho disparou contra a falta de organização no Brasil.

- Quem está perdendo é o esporte. É por isso que a Rússia é a atual campeã mundial do futebol de praia atualmente e não o Brasil. Não tem torneio, não tem liga. A Confederação (CBBS) ou a CBF precisam se entender para melhorar a modalidade - disse o goleiro da Seleção Brasileira.

Sem poupar a CBF, a CBBS e a Koch Tavares (empresa que gerenciava o marketing da CBBS e se aliou à CBF no imbróglio), Robertinho ainda lembrou que toda esse conflito que se instaura no país apenas servirá de empecilho para o projeto de melhorar o beach soccer:

- Do jeito que está não vamos conseguir transformar o beach soccer em um esporte olímpico. Eu entendo que quem investe no esporte precisa ter um retorno, mas é necessário parar com a vaidade e a ganância e pensar no melhor para o esporte.

Diante de todo o problema envolvendo o comando da Seleção Brasileira de beach soccer, com a Confederação Brasileira de Beach Soccer (CBBS) e a CBF envolvidas em um conflito pela administração, o goleiro Robertinho disparou contra a falta de organização no Brasil.

- Quem está perdendo é o esporte. É por isso que a Rússia é a atual campeã mundial do futebol de praia atualmente e não o Brasil. Não tem torneio, não tem liga. A Confederação (CBBS) ou a CBF precisam se entender para melhorar a modalidade - disse o goleiro da Seleção Brasileira.

Sem poupar a CBF, a CBBS e a Koch Tavares (empresa que gerenciava o marketing da CBBS e se aliou à CBF no imbróglio), Robertinho ainda lembrou que toda esse conflito que se instaura no país apenas servirá de empecilho para o projeto de melhorar o beach soccer:

- Do jeito que está não vamos conseguir transformar o beach soccer em um esporte olímpico. Eu entendo que quem investe no esporte precisa ter um retorno, mas é necessário parar com a vaidade e a ganância e pensar no melhor para o esporte.