icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
07/12/2013
16:28

Um treino de luxo. Por mais que toda a comissão técnica e as jogadoras da Seleção Brasileira tenham dito o contrário, a estreia no Mundial Feminino de Handebol da Sérvia, neste sábado, contra a Argélia, teve cara de mais uma das práticas pré-Mundial. Mesmo o placar elástico, 36-20, talvez não dimensione o quão tranquilo foi o debute da equipe dirigida por Morten Soubak

O dinamarquês iniciou o duelo com o sexto que considera ideal em quadra: Fernanda, Ana Paula, Duda Amorim, Alexandra Nascimento, Deonise e Dara compunham o time de linha do Brasil. Bárbara foi a dona da meta durante toda a primeira etapa.

Em momento algum, a Seleção esteve atrás no marcador. Abriu 3 a 0 com menos de 2 minutos de duelo e pouco foi ameaçada pelas argelinas. A goleada poderia ter sido ainda maior, caso Soubak optasse por manter as titulares durante toda a metade inicial. Fernanda foi a maior anotadora do duelo, com nove gols feitos, e também eleita a melhor jogadora do debute.

Aos 17 minutos de jogo, com 13 a 5 no marcador, começaram os testes. Deonise, Dara e Ana Paula deram lugar a Deborah Hannah, Mayara e Dani Piedade. A superioridade nacional continuou, mas a intensidade claramente já não era a mesma.

O Brasil chegou ao intervalo vencendo por 21 a 7. Na segunda etapa, a equipe voltou novamente com uma mescla entre titulares e reservas. Provavelmente, já de olho em poupar a parte física, por conta da sequência de jogos da primeira fase.

Neste domingo, a Seleção volta à quadra às 12h45 (de Brasília), em novo jogo válido pelo Grupo B do torneio. O adversário da vez será a China, que, sem resultados expressivos, também não deve impor grande dificuldade ao Brasil. A "estreia", provavelmente, ficará para terça-feira, no duelo contra a Sérvia. Ali, de fato, começará o Mundial brasileiro.