icons.title signature.placeholder Alexandre Braz
12/03/2014
07:48

Com três passes para gols no últimos dois jogos do time titular do Botafogo, o lateral-direito Edilson tem se tornado cada vez mais uma referência na equipe do técnico Eduardo Hungaro. Além de ser uma constante opção ofensiva, o camisa 3 encarna o tão falado "espírito de Libertadores". Autor de algumas entradas duras nos jogos da competição continental, Edilson, que está pendurado com dois cartões amarelos, tem chamado atenção tanto pelo bom futebol como pelo estilo mais viril.

Antes de seguir para o Equador, onde estará em campo nesta quarta-feira, às 19h45 (horário de Brasília), diante do Independiente del Valle (EQU), no Estádio Rumiñahui, em Sangolquí, pela terceira rodada do Grupo 2 - com transmissão em tempo real pelo LANCE!Net -, Edilson conversou com o a reportagem do L!Net e defendeu o estilo de jogo, que classifica como duro, mas não desleal. De quebra, criticou os árbitros brasileiros.

- Entro para jogar sempre da mesma forma. Fico chateado com a arbitragem do Carioca e do Brasileiro. Os árbitros da Libertadores apitam como todo mundo, mas em alguns lances de vantagem, umas chegadas mais fortes, mas na bola, eles deixam seguir. Este é meu estilo de jogo, que é forte, mas não desleal, não tento machucar meu adversário - disse.

Com o Botafogo eliminado do Estadual, Edilson afirma que não será fácil chegar ao título da competição que o clube não disputava há 17 anos. No entanto, no que depender dele, vontade não faltará.

- A Libertadores é diferente. Muda o ânimo e o astral. Por isso estamos fazendo jogos muito bons. Lutamos muito por essa classificação. Nesses jogos, temos buscado forças onde não temos.