icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/06/2014
13:24

Na carona da Copa do Mundo, a Secretaria de Estado de Assistência Social Direitos Humanos (SEASDH) lançou uma campanha contra qualquer tipo de preconceito no Rio de Janeiro. Com o nome "Discriminação é gol contra", a SEASDH, em parceria com a a Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos (SuperDir), a Superintendência de Igualdade Racial (Supir) e a Subsecretaria de Defesa e Promoção dos Direitos Humanos pretende incentivar a igualdade.

- Não podemos mais admitir e viver em uma sociedade que discrimina. Estamos lançando a campanha e ficaremos de prontidão 24 horas por dia. Precisamos criar a cultura sobre uma sociedade plural e que respeita - declarou o titular da SEASDH, João Carlos Mariano

A ideia da campanha é promover os direitos humanos e a diversidade durante os dias de competição, sensibilizando brasileiros e estrangeiros para o combate ao racismo, à homofobia, à intolerância religiosa, à xenofobia, à discriminação social, de gênero e de origem. Estão previstas blitzes no Rio, com distribuição de material informativo e educativo.

A primeira delas ocorreu no dia 15 de junho na orla da Zona Sul do Rio. Artistas, atletas e autoridades vestiram a camisa e ajudaram a dizer não a esse tipo de crime. Nas ruas, equipes do governo deflagraram o projeto de conscientização da população local e dos turistas que invadiram o Rio durante a Copa do Mundo. Em clima de paz e descontração, todos se transformaram em garotos-propaganda da iniciativa.

A iniciativa conta com o apoio da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, através da Coordenadoria Nacional LGBT, e Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República, a Federação de Torcidas Organizadas do Estado do Rio de Janeiro, Instituto Carioca de Cidadania e FARE - Rede Europeia de Combate ao Racismo.