icons.title signature.placeholder Fábio Aleixo
13/11/2013
09:25

O desejo que o Rio de Janeiro teve de sediar as Finais da ATP não se concretizará tão cedo. A relação entre a entidade e o Governo do Estado está deteriorada.

Em fase de corte de investimentos, o órgão público rompeu o contrato de publicidade que tinha com a entidade responsável pelo circuito masculino. O acordo, assinado em 2011, era válido ate o fim do ano. Porém, desde meados de 2013, a torneira fechou, e o dinheiro não caiu mais na conta da ATP.

Assim, a marca "RIO" deixou de aparecer no programa semanal da instituição, o "ATP Uncovered" em setembro, e nem foi exibida nas Finais da ATP de Londres (ING), como ocorrera nos dois últimos anos. Quando da assinatura do contrato, o Governo tinha a ideia de promover por todo o planeta o Rio como destino turístico, em modelo de parceria semelhante ao que Madri (ESP) tem com a Copa Davis.

- Tiraram (dinheiro). Tivemos problemas e seguimos tendo, mas vai ser resolvido, acreditamos. Estamos trabalhando neste sentido. Eles (Governo) não queriam continuar e estamos acertando os detalhes. Até agora, tudo tem sido feito de forma amigável - afirmou ao LANCE!Net o brasileiro Andre Silva, diretor das Finais da ATP e membro do conselho da entidade.

De acordo com Silva, a relação entre ATP e Governo do Rio esfriou muito desde que André Lazaroni assumiu a Secretaria de Esportes em fevereiro deste ano. Ele substituiu Márcia Lins, que foi a responsável por tentar levar as Finais para o Rio, em candidatura fracassada no ano passado.

- Desde a mudança, nosso contato caiu muito. Realmente não houve muita conversa sobre isso (Finais da ATP), perdeu um pouco o timing, corpo - afirmou Silva.

Para o diretor, caso o Rio de Janeiro retome o interesse para receber a competicão após 2015 (último ano do contrato de Londres), será preciso muito trabalho para recuperar a confiança da ATP. O não-cumprimento do contrato queimou o filme do Governo.

- Sem dúvida nenhuma, cria uma certa desconfiança, deixa um gostinho não muito bom na boca . Não te dá a segurança de mesmo que se receba uma proposta, será uma proposta que cumpra exatamente os planos que se propõe. É uma situação chata para mim como brasileiro - concluiu Silva.

Em tempo. Isso não afeta em nada a organização do Aberto do Rio, que será realizado em fevereiro no Jockey Club. O torneio é organizado pela IMX, sem participação do Governo.

Contrato era de R$ 9 milhões

Procurado pela reportagem, o Governo do Estado do Rio de Janeiro confirmou o fim do contrato de publicidade com a ATP em um pequeno comunicado divulgado pela assessoria de imprensa:

“O contrato com a ATP está em processo de rescisão. Por ser uma Associação de Tenistas Profissionais, não pode usar a lei do ICMS destinada a projetos esportivos. O valor do contrato era de R$ 9 milhões”

Na última semana, a Soccerex-2013, que seria realizada no Maracanã, foi cancelada. Em nota divulgada pela  Secretaria de Esporte e Lazer do Rio, a convenção global de negócios do futebol não seria realizada para que “o patrocínio não tivesse como fonte de recursos o Tesouro Estadual”.

Colaborou Amélia Sabino