icons.title signature.placeholder Marcelo Braga
28/12/2013
07:05

De férias na Vila Formosa, na Zona Leste de São Paulo, Rildo tem desejado a amigos e familiares um feliz ano novo. Embora não faça ideia de como será o seu:

– Eu estou aguardando, assim como vocês (jornalistas), vendo as notícias na internet a toda hora, se fico ou não fico na Ponte... Estou curioso – admitiu ele, em contato por telefone com o LANCE!Net.

Há uma semana, o acerto com o Santos era dado como certo pela cúpula santista, uma vez que o grupo de investidores Doyen Sports estava disposto a pagar a multa rescisória do jogador, de R$ 9,6 milhões.

Nos dias posteriores, porém, o grupo maltês se retirou do negócio diante das exigências da diretoria da Ponte Preta, dona de 50% dos direitos econômicos do atleta de 24 anos. O clube de Campinas queria negociá-lo por mais do que a multa para aumentar seu próprio lucro.

Sem o aporte financeiro, as negociações esfriaram, mas o Peixe segue monitorando o jogador. Com tratativas avançadas para contratar Vargas, o atleta agora é tratado como uma segunda opção. Antes do Natal, o presidente em exercício do Santos, Odílio Rodrigues, elogiou o atacante e garantiu que o interesse estava mantido:

– Ele é tido como um jogador inteligente, que se desloca bem, tem boa leitura de jogo. É um jogador que nos interessa bastante. Contamos que esta negociação pode evoluir bem – afirmou ele, à rádio Jovem Pan.

Em entrevista ao LANCE!Net, o jogador agradeceu ao dirigente pelos elogios, mas também afirmou que espera recebê-los em outra situação:

– É lógico que fiquei feliz por se tratar de um dirigente de um clube grande, estou feliz, mas espero que ele possa me elogiar se um dia eu for jogador do Santos. Seria bem melhor, seria um prazer – projetou ele.

Sonho antigo da diretoria, Rildo tem também uma proposta do Atlético-MG, primeiro clube a tentar negociar com a Macaca. Presidente do Galo, Alexandre Kalil saiu de férias após a má campanha do seu clube no Mundial de Clubes da Fifa, realizado no Marrocos. Situação idêntica a de Eduardo Maluf, diretor de futebol.

Assim, o agente José Luiz Galante vai esperar o retorno dos atleticanos ao país para voltar a falar do futuro dele. A tendência é que a conversa com o Galo seja após o dia 3.

– A Ponte fez uma contraproposta ao Atlético-MG. Já no caso do Santos, prefiro que eles se manifestem.

Superintendente do Peixe, André Zanotta não retornou as ligações.

Bate-Bola com Rildo
Atacante da Ponte Preta, ao LANCE!

‘Jogar pelo Santos é o sonho de muita criança’

Vai jogar por qual time em 2014?
Não sei, cada um fala uma coisa. Já li que estava tudo certo com o Santos, agora que a negociação parou. Meu agente é quem sabe...

Além do Santos, o Atlético-MG também está atrás de você. Como você se sente ao ser valorizado?
Fico feliz pelo reconhecimento ao meu trabalho, é muito gratificante para mim e para minha família. Aqui na minha Vila (Formosa, em São Paulo), estão todos torcendo para isso ter um desfecho legal. Fico feliz por ter tantos clubes interessados e ficarei mais feliz ainda se puder defender um grande clube do futebol brasileiro. Não que a Ponte não seja grande, mas jogar em um time que entra nas disputas para ganhá-las será outra coisa.

Tem preferência entre jogar no Galo ou no Peixe no ano que vem?
Tanto o Atlético-MG quanto o Santos são dois excelentes clubes. Se um dia eu puder vestir a camisa deles, vou ficar muito feliz mesmo.

Por que acha que lhe querem?
Acho que foi pela nossa campanha na Sul-Americana. Fizemos grandes jogos e chegamos na final. Não conseguimos o título, é verdade, mas todos nos acompanharam. Ali tivemos oportunidade de aparecer. Não só eu, como o Uendel, por exemplo, e mais outros jogadores.

Jogar pelo Santos seduz?
Sim, é o sonho de muita criança jogar no Santos pela passagem de grandes jogadores, como Pelé, Robinho, Diego, Ganso e Neymar.

Seria a chance de ser campeão?
Espero que sim, todo jogador fica marcado ao ser campeão. E é o meu desejo pessoal, já que ainda não fui na carreira. Vou lutar para ser campeão se for para um time grande.

Vaivém: As principais novidades do futebol brasileiro