icons.title signature.placeholder Anderson Alves e Verônica Souza
23/12/2013
17:00


Recompensa. Essa foi a palavra que Ricardinho usou para descrever a sensação de tocar na taça da Copa do Mundo. Deficiente visual, ele descreveu com detalhes o objeto mais desejado do futebol e afirmou sentir-se um privilegiado, afinal, essa foi a primeira vez na história que a FIFA abriu uma exceção à regra - apenas campeões mundiais e chefes de Estado têm permissão de tocar na taça - e Ricardinho já antecipou para os nossos representantes em 2014 que ela é pesada.

- A taça é bem pesada (risos), mas isso é o que menos importa. Na hora da emoção, a gente levanta com facilidade e eu acredito que será assim com a nossa Seleção em 2014 - comentou Ricardinho.

A iniciativa de levar a taça aos atletas paralímpicos aconteceu porque o objetivo da Coca-Cola, uma das empresas patrocinadoras do evento, para a Copa do Mundo é fazer desta a "Copa de Todo Mundo", fazendo a Copa de 2014  a mais inclusiva e democrática de todos os tempos.