icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
08/03/2014
17:16

Carregada de humor ácido e muita ironia, a revista "So Foot" detonou a Copa do Mundo do Brasil e comparou o evento a um grande bordel. "Viva a bagunça brasileira!", estampa a manchete da reportagem francesa. A crítica à preparação do país sul-americano é severa e pessimista desde o primeiro parágrafo:

- Nenhuma cidade-sede tem a capacidade de entregar os aeroportos a tempo. Quanto ao transporte urbano, não há a mínima chance de modernizá-lo em seis meses, sobretudo no Brasil. Serão seus pés que farão a maior parte do trabalho.

Em seguida, a reportagem divide as cidades em três grupos: no primeiro, são mencionados os locais que têm condições de abrigar um Mundial. O segundo é destinado às cidades onde a Copa será uma bagunça. Já o último, os lugares a serem evitados ou "melhor é assistir pela televisão", como escrevem os franceses.

E MAIS

CEO do COL crê que gramados serão legado da Copa do Mundo
Senadores dos EUA pedem exclusão da Rússia da Copa do Mundo

Fortaleza, Belo Horizonte e Brasília aparecem no primeiro grupo, mas não se livram de críticas. Problemas como conexão de internet e falhas no telão do Beira Rio são lembrados pela revista.

São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife e Natal aparecem no segundo grupo.

- Edifícios degradados, pistas saturadas nas altas estações e paralisação das atividades em cada chuva forte prometem grandes doses de diversão - escreve a "So Foot" sobre o Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

Cuiabá, Manaus e Curitiba encabeçam o grupo mais criticado pela revista.

- O aeroporto de Cuiabá é do tamanho de uma cozinha, mas há um lindo papagaio pintado na parede - satiriza a revista, que classifica os atrasos nas obras da Arena da Baixada, em Curitiba, como "grande emoção pré-Mundial".