icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro
28/11/2014
07:31

Em 2012, cada grande paulista ergueu pelo menos uma taça - Corinthians (Libertadores e Mundial), Palmeiras (Copa do Brasil), Santos (Paulistão e Recopa) e São Paulo (Sul-Americana). Em 2013, só um deles, o Corinthians (Paulistão e Recopa). Já neste ano, a eliminação do São Paulo, nos pênaltis, na Copa Sul-Americana, marca a primeira vez na história do futebol do Estado em que os grandes sairão sem títulos, já que o Ituano foi campeão estadual em cima do Santos, justamente o grande que chegou mais perto de uma conquista.

O Campeonato Paulista já teve anos atípicos desde a profissionalização do esporte, na década de 30, e da fundação da Federação Paulista de Futebol, em 1941. A questão é que algum clube do Estado sempre "salvou" os grandes no Brasileirão. Em 1986, quando a Inter de Limeira surpreendeu em cenário estadual, o São Paulo foi campeão brasileiro sobre o Guarani. Quatro anos depois, em 90, foi a vez do Bragantino ser campeão paulista e o Corinthians do Brasileirão. O São Caetano foi campeão paulista de 2004, sob o comando de Muricy Ramalho, mas o campeão nacional foi o Santos.

Já o Ituano ganhou as edições do Paulistão de 2002 e 2014, mas na primeira o São Paulo foi campeão do "Supercampeonato paulista", o Corinthians da Copa do Brasil e o Santos do Brasileirão. E na segunda vez é que a história foi escrita.

Em um ano marcado pela hegemonia mineira graças aos títulos da Copa do Brasil (Atlético-MG) e do Brasileirão (Cruzeiro), o futebol paulista ficou pelo caminho. Já garantiu uma vaga na Libertadores com o São Paulo e ainda deve assegurar outra o Corinthians, mas a falta de títulos é notável. Por isso, o LANCE!Net ouviu de seus colunistas opiniões e perspectivas de futuro para os clubes do Estado. Além disso, relembra o drama da Portuguesa e a única chance de um paulista ser campeão em 2014: a Ponte Preta.

PROBLEMA DOS PAULISTAS É A GESTÃO, diz Amir Somoggi, consultor de marketing

"Esses times se vangloriam quando são campeões e atingem melhores contratos de patrocínio e renda, e obviamente tudo piora quando as conquistas não vêm. Mas os paulistas têm mídia, torcida, e dificilmente uma temporada sem títulos afeta tanto os negócios. Mas deixa claro um elemento: como os clubes estão sendo mal geridos. Um título valoriza a marca, passa imagem positiva para o mercado, bônus de patrocinadores, receita com bilheteria... Mas é necessário ter eficiência na gestão desses recursos, e os paulistas têm ineficiência nisso. O São Paulo, por exemplo, monta times caros e nem por isso têm bom desempenho. A dupla mineira consegue mais com muito menos".

VACAS MAGRAS E CLUBES POBRES, diz Mauro Beting, colunista do LANCE!

"O futebol dos principais clubes do Estado de São Paulo está perdendo a Lusa, não está achando o Palmeiras nem na própria casa, está perdendo dinheiro e tempo no Santos. O São Paulo trouxe muita gente, mas ainda não refez a hora. O Corinthians ganhou uma bela casa. Mas ainda não sabe como pagar. Embora tenha sabido remontar o time. Vacas magras e clubes pobres".

LIBERTADORES É POUCO, diz Rafael Bullara, editor do LANCE!

"A não presença de paulistas na Libertadores deste ano após 15 temporadas foi o primeiro sinal de que algo estava fora do eixo no futebol do Estado. A confirmação veio com a ausência de taça entre os grandes. Para piorar, o Palmeiras ainda corre sério risco de rebaixamento enquanto o Santos fez mais um ano de mero coadjuvante no torneio nacional. São Paulo e Corinthians vão "salvar" a temporada com a classificação para a competição continental de 2015, mas é pouco se comparado aos altos investimentos".

HÁ UMA PIORA GENERALIZADA NO NÍVEL, diz João Carlos Assumpção, editor do LANCE!

"Essa temporada sem títulos, para mim, é algo circunstancial. O Corinthians tem um time forte, vai para a Libertadores, o São Paulo perdeu a Sul-Americana, mas deve ficar em segundo no Brasileiro e o Santos está em período de renovação, busca o futuro. O que me preocupa é o Palmeiras, que vive uma crise que não é de hoje, e todos os outros. Há uma piora generalizada no nível do futebol paulista, e o campeonato estadual só mostra isso com o título do Ituano. São Paulo e Corinthians têm perspectivas para a temporada 2015".

DECADÊNCIA LEVA A PORTUGUESA À SÉRIE C EM 2015:

A perda de quatro pontos por conta da escalação irregular do meia Héverton, no Brasileirão de 2013, rebaixou a Portuguesa para a Série B e causou revolta em seus torcedores. Mas, dentro de campo, o time paulistano não conseguiu se recuperar e terminará a Segunda Divisão nacional em último – foram cinco trocas de técnico e só 25 pontos de quatro vitórias, 13 empates e 20 derrotas. A Lusa foi campeã da Série A2 do Paulistão em 2014 e, por essa razão, disputará a elite estadual na próxima temporada. No segundo semestre, entretanto, precisará disputar a Série C do Brasileiro indicando uma decadência impensável para o time que terminou 2013 em 12º lugar.

PONTE PRETA É A ÚNICA CHANCE DE TÍTULO DO FUTEBOL PAULISTA:

A eliminação do São Paulo nas semifinais da Copa Sul-Americana acabou com as chances de um grande paulista ser campeão em 2014. No entanto, uma força emergente do interior é o único que ainda tem esperanças de levantar uma taça: a Ponte Preta. Atual vice-líder da Série B do Campeonato Brasileiro, a Macaca tem 68 pontos, dois a menos que o Joinville, e enfrenta o Náutico neste sábado, fora de casa, pela última rodada. Os catarinenses, por sua vez, têm duelo contra o Oeste, em Itápolis, e o empate garante o título fora de casa. Curiosamente, a Ponte caiu junto com a Portuguesa em 2013.