icons.title signature.placeholder Frederico Ribeiro
08/12/2013
19:01



Um de falta e outro de pênalti. Foi o suficiente para a torcida do Atlético-MG acreditar que Ronaldinho Gaúcho continua sendo o craque de sempre e poderá conduzir o time no Mundial do Marrocos. O Galo não jogou nada, somente o seu camisa 10, mas conseguiu arrancar um empate de 2 a 2 contra o Vitória, no Independência, após sair perdendo logo aos três minutos e tomar outro aos seis minutos.

Os gols do Vitória foram marcados por Marquinhos e Maxi Biancucchi, só que o Leão, que sonhava com uma quarta vaga virtual para a Libertadores, ficou pelo caminho, já que o Botafogo venceu seu jogo. O jogo valeu mesmo pela aula que R10 deu no Horto, com passes perfeitos (incluindo no pênalti sofrido por Berola).

GOLS RELÂMPAGO E R10 MÁGICO

O Atlético-MG entrou de salto alto contra o Vitória e só foi perceber a burrada tarde demais. Com apenas seis minutos de jogo, o Rubro-Negro abriu 2 a 0. Marquinhos foi autor do gol que iniciou a caminhada dos baianos, em lance de sorte, após cruzar e a bola cobrir o goleiro Victor.

Fernandinho e Juan lutam pela bola (Foto: Gil Leonardi/ LANCE!Press)

O time alvinegro nem conseguiu atacar direito e Victor buscava a bola pela segunda vez nas redes. Desta vez, a desatenção da defesa mineira esteve do lado esquerdo. Novo cruzamento, milagre de Victor e, no rebote, Maxi Biancucchi encostou com facilidade. O Rubro-Negro sonhava com a quarta vaga na Libertadores e dava um banho de bola num desacordado campeão da Libertadores.

O Galo despertou, mas foi aos poucos. Primeiro, abusou dos lançamentos diretos para Jô, que não estava inspirado. Sem Diego Tardelli, o ataque perdia em qualidade. Fernandinho não jogava bem e Ronaldinho, ao contrário dos demais companheiros, não errou quase nada (salvo uma falta que poderia ter sido evitada).

R10, no entanto, seria mesmo o nome da tarde fria no Horto. Após dois meses e algumas semanas, ele retornou de sua lesão na coxa esquerda com estilo. Guardou um golaço de falta no ângulo de Wilson e agradeceu dois elementos em particular: bateu continência para Alexandre Kalil e parabenizou o DM do Galo.


GALO PRESSIONA E EMPATE

O Atlético-MG voltou à estaca zero. Com apenas cinco minutos, quase levou o terceiro gol. A torcida empurrava, mas o time que estava prestes a disputar seu maior torneio parecia não querer estar ali. Em erro de Réver, o ataque do Vitória ficou três homens contra um, Dinei arriscou belo chute, Victor espalmou e Marquinhos, livre, explodiu o travessão. No semblante dos alvinegros: uma mistura de pouca vibração e comodismo.

No entanto, jogando em casa, o Galo tinha que, ao menos, criar chances. Luan (se fosse Tardelli...) fez bela tabela com Jô, mas chutou mal, a bola desviou e foi para fora. Essa cena sofreria uma repetição, mas Luan obrigaria Wilson a salvar.

Logo depois, o mesmo Luan deu passe cirúrgico para R10. Livre, o craque mandou por baixo das canetas de Wilson, mas estava impedido. O Galo passou a dominar o jogo, pois o Vitória cansou de imprimir o ritmo inicial e não ganhava as bolas no meio de campo. Fernandinho e Jô carimbaram Wilson, grande nome do Leão da Barra.

Tudo encaminhava para um final de jogo lento e vitória do time da boa terra. Mas Ronaldinho tinha mais uma carta na manga. Ele lançou Neto Berola por trás da zaga e o camisa 25 sofreu pênalti. R10 não perdoou e levou a Massa ao delírio. Lesão e alma curadas do craque brasileiro.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2 X 2 VITÓRIA

Local: Arena Independência, Belo Horizonte (MG)
Data-Hora: 8/12/2013 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Rogério Pablos Zanardo (ASP-Fifa-SP) e Bruno Salgado Rizo (CBF-1-SP)
Renda e Público: Ainda não divulgados
Cartões amarelos: Escudero (VIT); Ronaldinho e Marcos Rocha (CAM)
Cartões vermelhos: Não houve

GOLS: Marquinhos, 3'/1ºT (0-1); Maxi Biancucchi, 6'/1ºT (0-2); Ronaldinho, 48'/1ºT (1-2) e aos 43'/2ºT (2-2)

ATLÉTICO-MG: Victor, Marcos Rocha, Réver, Gilberto Silva e Lucas Cândido; Pierre e Leandro Donizete (Alecsandro, 30'/2ºT); Luan (Rosinei, 35'/2ºT), Ronaldinho, Fernandinho (Neto Berola, 36'/2ºT); Jô - Técnico: Cuca.

VITÓRIA: Wilson; Ayrton, Kadu, Renato Santos (Luiz Gustavo, 34'/1ºT) e Juan; Marcelo (Danilo, 25'/2ºT), Cáceres e Escudero; Maxi Biancucchi (Willian Henrique, 46'/2ºT), Marquinhos e Dinei. – Técnico: Ney Franco.