icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
09/02/2015
21:17

Um dos maiores pugilistas da história do Brasil está prestes a retornar ao ringues. Acelino "Popó" Freitas anunciou que retomará a carreira em maio deste ano. Popó contou que os detalhes do retorno ao esporte ainda não estão totalmente definidos.

No entanto, sabe-se que Acelino lutará na categoria meio-médio (até 69 kg) da Associação Mundial de Boxe, na inauguração do Ginásio Mangueirinho, em Belém do Pará. O lutador de 1,65m terá o desafio de baixar seu peso atual. Para se adequar à categoria, Popó tera que perder 11 kg. Os treinamentos terão início na Bahia e serão finalizados em São Paulo.

- É um desejo pessoal. Eu não parei por lesão, não parei por dinheiro. Não foi o boxe que me parou, na verdade fui eu que parei com o boxe, então eu posso voltar a hora que quiser. - disse o lutador à ESPN

Acelino também comentou sobre as remunerações no esporte e salientou que, os maiores vencimentos da área esportiva são dos boxeadores.

Estou definindo o patrocínio para poder voltar tranquilo, fazer uma boa luta e um bom trabalho, É muito bom. Hoje, o atleta mais bem pago do mundo é um lutador de boxe. - disse, se referindo ao norte-americano Floyd "Money" Maywheather, eleito pela Forbes o esportista que mais faturou em 2014.

Embora o nome do adversário ainda não tenha sido divulgado, ele já deixou claro que não quer enfrentar um compatriota por acreditar que não haja nenhum à sua altura em qualidade ou experiência. Tetracampeão mundial em duas categorias, o baiano acumula 41 lutas em seu cartel, sendo 39 triunfos, 33 deles por nocaute, e apenas duas derrotas, para Diaz e para seu compatriota já falecido, Diego Corrales, em 2004.

- A minha ideia é lutar com os melhores. - concluiu

Confira outros trechos da entrevista de Popó.

IRMÂOS FALCÃO
"Eles são bons, corajosos, valentes, estão fazendo lutas boas. Além de estarem invictos. Têm um futuro muito promissor"

BOXE FEMININO
"O boxe feminino não é tão assistido quanto deveria, já que tem muitas meninas boas, sendo que nossa primeira medalha olímpica veio com Adriana. Tem a Clélia , são meninas boas. Elas são talentosas, muito promissoras, mas não passam para o profissional e preferem ficar no amador. O profissional é muito complicado pro boxe ainda", comentou o boxeador."

OLIMPÍADAS
"As expectativas são boas, conquistamos três medalhas da última vez, e por ser no Brasil, acho que fortalece ainda mais o esporte. A CBBoxe está de parabéns pelo trabalho que já vem de muitos anos. Vai ser ótimo ter o evento aqui."