icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/11/2014
13:37

A melancolia do fim da passagem de Tite pelo Corinthians passou muito pela ausência de Paolo Guerrero em diversos jogos do Campeonato Brasileiro, seja por lesão, suspensões ou convocações para a seleção peruana. Neste ano, Mano Menezes até pode reclamar do gancho de três jogos do STJD pelo empurrão no árbitro Leandro Bizzio Marinho ou dos chamados para defender o Peru, mas teve em Guerrero o principal artilheiro do Corinthians na arena de Itaquera e, agora, maior goleador da temporada, empatado com 15 gols com o talismã Luciano.

Por tudo isso, Mano não poupa elogios ao seu camisa 9. E a vitória por 1 a 0 sobre o Grêmio, com gol de Guerrero, só foi mais um motivo para a exaltação. Mas dessa vez com uma lembrança: no ano passado, seus substitutos estavam um nível acima dos nomes que hoje estão à disposição, mas, ainda assim, levaram o Timão a praticamente assegurar classificação para a Libertadores.

- No ano passado, na reta final do Brasileiro, o Corinthians também ficou sem Paolo Guerrero e eu ouvi dizer que foi esse o grande problema para não conseguir a vaga. Mas os jogadores que ficaram quando ele não estava eram Romarinho, Emerson Sheik e Alexandre Pato. E nesse ano, que desfalcou cinco ou seis jogos, os jogadores foram Luciano, Malcom e Gustavo Tocantins. E estamos conseguindo a vaga. Isso é grupo, trabalho. Hoje estamos revelando jovens jogadores para o Corinthians do futuro - avisou Mano, que completou o raciocínio dizendo que a opção pelos garotos foi sua, dada a falta de opções no mercado:

- Quando não contratamos Nilmar, fomos discutir um plano B, que era de jogador da Série B. Eu disse para o presidente duas coisas: eu não via jogadores com perspectiva de futuro naquele momento e que, se fosse para ser assim, gostaria de apostar nos jovens que estava formando, e nisso tinha o risco de não conseguir vaga na Libertadores. Era importante dizer isso, precisamos falar abertamente. Por isso, digo que às vezes as pessoas não gostam de mim, e por isso que dá certo - comentou.

Veja os números de Guerrero contra o Grêmio:


GUERRERO JOGA RENOVAÇÃO PARA A DIRETORIA: 

A discussão sobre a renovação de contrato teve mais um capítulo após a vitória na Arena Corinthians. E dessa vez, Guerrero dividiu as responsabilidades a respeito do novo vínculo que deseja assinar para as próximas temporadas:

- A diretoria está tratando isso com calma, vamos esperar. Eu deixo isso de lado. Estou focado no meu trabalho, em treinar bem, me preparar bem. Tenho contrato até junho do próximo ano, então é lógico que contam comigo até o próximo ano, mas não posso falar, porque pode ser que a diretoria do Corinthians não queira renovar - disse o peruano.