icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
01/04/2014
13:11

Mais de 200 representantes das 11 cidades-sede da edição 2014/2015 da Volvo Ocean Race, equipes e patrocinadores se reúnem nesta semana em Alicante, na Espanha, para definir os últimos detalhes da regata de volta ao mundo. Ao todo, 15 países, incluindo o Brasil, estão envolvidos na reunião geral em Alicante, na Espanha, palco do início da competição no dia 4 de outubro. O encontro, que termina no fim da semana, terá workshops e apresenta as novidades da 12ª edição da Volvo.

- A edição de 2014/2015 será a Volvo Ocean Race humana. Vamos ver a habilidade das pessoas, suas capacidades de trabalhar em conjunto e tomar decisões, desempenhando um papel muito importante na vitória. Vamos oferecer aos nossos fãs histórias, fotos, vídeos e conteúdo de qualidade sem precedentes em todo a nossa plataforma multimídia - afirmou o presidente da Volvo Ocean Race, o norueguês Knut Frostad.

O dirigente classificou esta edição como a mais humana da história por conta das mudanças nas regras. A principal delas é a de um projeto único para a criação dos barcos. Pela primeira vez, todas as equipes usarão o mesmo modelo. Os chamados Volvo Ocean 65 foram projetados pela Farr Yacht Design e construídos por um consórcio de estaleiros do Reino Unido, França, Itália e Suíça. O 65 é uma alusão ao tamanho dos veleiros, ou seja, 65 pés (19,8m).

Até agora, cinco equipes confirmaram presença na regata: Team SCA (Suécia) , Abu Dhabi Ocean Racing (Emirados Árabes Unidos), Dongfeng Race Team (China), Brunel Team (Holanda) e Team Alvimedica (EUA/Turquia). A competição começa com a regata local de Alicante, no dia 4 de outubro. No dia 11, os barcos partem para a primeira perna até a Cidade do Cabo, na África do Sul. No total, serão cerca de 71.745 quilômetros percorridos, passando por diversas cidades do mundo, incluindo Itajaí, em Santa Catarina.

Alicante é a casa da organização da Volvo desde 2010, sediando a abertura do evento em 2008/2009 e 2011/2012. De acordo com o relatório da PricewaterhouseCoopers (PwC), o impacto econômico foi de 110.630.000 euros na Espanha. O museu da regata de volta ao mundo , também localizado no Porto de Alicante, recebeu mais de 20 mil visitantes nos últimos seis meses.

- Alicante reforçará o seu papel como uma capital internacional de vela em outubro deste ano. A regata reunirá os melhores velejadores do mundo, equipes e patrocinadores, atraindo a mídia de todo o planeta. A cidade será transformada para acomodar milhares de visitantes, funcionários e clientes corporativos que irão testemunhar essa aventura humana incrível - finalizou Frostad.