icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/11/2013
14:38

Segundo o jornalista Daniel Vasques, repórter do jornal "Folha de S. Paulo", o ex-presidente do Corinthians Andrés Sanchez o agrediu, logo após a tragédia na Arena Corinthians, nesta quarta-feira. Reportagem do site da Folha diz ainda que Andrés contou com a ajuda de seus seguranças e um funcionário da Odebrecht para bater no jornalista.

De acordo com a nota, Andrés e os demais tentaram pegar o celular de Vasquez, e, diante da negativa, desferiram socos para quebrar o aparelho. Operários da Odebrecht que trabalham na obra teriam intervido para defender o repórter e quase foram agredidos.

Andrés Sanchez coloca a mão no rosto logo após o acidente na Arena Corinthians (Crédito: Eduardo Viana/LANCE!Press)

E MAIS:
> Guindaste desaba na Arena Corinthians e deixa pelo menos dois mortos
> Em nota, Corinthians lamenta profundamente acidente
> FOTOS: Acidente na Arena Corinthians deixa ao menos dois mortos

A nota afirma que "um policial militar que estava no local disse para Vasques entregar o celular para os seguranças de Andres e ao cartola, mas o jornalista se negou. Intimidado, o repórter, no entanto, foi obrigado a apagar todas as fotos tiradas do ocorrido". Em seguida, Vasques teria sido expulso do canteiro de obras.

Em entrevista coletiva para falar sobre o acidente, Andrés negou ter encostado no jornalista.

– Teve um jornalista da Folha que invadiu uma área restrita e que escreveu uma matéria dizendo que eu agredi. tinha policiais, eu gritei, xinguei, mas não relei a mão dele. é mais um mentiroso.

O desabamento de um guindaste no Estádio do Corinthians deixou ao menos dois mortos na manhã desta quarta-feira. O guindaste era usado para a colocação da última peça metálica da cobertura do prédio sul do estádio e desabou sobre painel de led da obra, além de alguns caminhões que estavam próximos do local. Em nota no site oficial, o Corinthians lamentou o ocorrido.

Repórter mostra drama do acidente na Arena Corinthians