icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/11/2013
09:03

A renda da final da Copa do Brasil será utilizada pelo Flamengo para ajudar a fechar o ano financeiro do clube com tranquilidade. Após não ter conseguido adiantar R$ 27 milhões com o Complexo Maracanã referentes ao contrato de três anos, válido a partir de janeiro de 2014, mas ainda não assinado, o Rubro-Negro encontrou no aumento dos preços dos ingressos da final da Copa do Brasil uma saída para desafogar o caixa e manter os salários dos funcionários e o pagamento dos impostos em dia.

Para a final da Copa do Brasil, o Flamengo espera ter uma renda de R$ 9 milhões com os ingressos nos valores atuais. Em caso de conquista, o clube ganhará R$ 3 milhões de premiação. Na última quarta-feira, o presidente Eduardo Bandeira de Mello garantiu que o Fla ainda precisa de R$ 25 milhões para conseguir fechar as finanças deste ano.

O Flamengo tenta encontrar outras fontes de receita, já que esta soma não é suficiente para fechar o caixa. A possibilidade de fazer mais empréstimos não foi descartada.

TORCEDOR COMUM CORRE O RISCO DE NÃO CONSEGUIR INGRESSO

Apesar do protesto dos torcedores na Gávea contra o aumento dos preços dos bilhetes na última sexta-feira, o Flamengo derrubou no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro a liminar conquistada pelo Ministério Público na quinta-feira e, com isto, os preços das entradas para a partida contra o Atlético-PR, no Maracanã, voltam por ora a variar entre R$ 250 e R$ 800. Mesmo com estes valores, mais de 40 mil ingressos já foram vendidos e os torcedores comuns correm o risco de não irem ao estádio. O LANCE!Net procurou o Ministério Público, mas o órgão não soube informar até o fechamento desta reportagem se irá entrar com recurso na ação.

Vale lembrar que o Flamengo também responde por uma ação movida pelo Procon, indeferida inicialmente na quinta-feira pelo juiz Luiz Roberto Ayoub, da 1ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça. Na decisão, o magistrado marcou uma audiência para a próxima quinta-feira, quando definirá se os preços dos ingressos para a final serão novamente modificados por meio judicial.

Além disto, o Flamengo é alvo de inquérito da Delegacia Especial do Consumidor (Decon), que investiga possível crime contra a ordem econômica por conta do aumento dos preços dos ingressos. O Rubro-Negro encaminhará nos próximos dias ao Decon as planilhas feitas para chegarem aos valores praticados e, caso seja constatada irregularidade, os dirigentes do clube podem ser indiciados na lei 8.137, artigo 4, inciso 7, com pena entre dois e cinco anos de reclusão.