icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/11/2013
09:11

Uma das principais virtudes de Renato Gaúcho foi colocar o vestiário em dia, vociferam dirigentes e o próprio treinador, quando possível. E o treinador tratou de, como comandante que é, puxar o foco para si na véspera do duelo com o Atlético-PR, às 21h50 desta quarta, na Arena, pela Copa do Brasil. Tirou a possibilidade de qualquer atleta cometer algum deslize e motivar o adversário.

A partida definirá quem vai para a final da Copa do Brasil. Por isso, todo cuidado é pouco. Na segunda-feira, três jogadores concederam entrevista: Rhodolfo, Kleber e Souza. A postura de Renato foi a mesma de antes do jogo da última semana. Como líder, assume o papel da manifestação.

- Procurei tirá-los do foco, da pressão, deixar que eu absorva tudo isso. Sou mais experiente que eles, já vivi tudo. Quero eles livres, leves e soltos, tranquilos, aqui e na concentração. Às vezes vem um jogador que coloca uma palavra, mal colocada, mal intepretada, e algumas pessoas podem fazer tempestade em copo d'agua - se previniu Renato.

A maior manifestação do técnico vem em boa hora, já que o Tricolor não vence há cinco jogos e não faz gols há quatro. Apesar da presença no G4 do Brasileiro e ainda ter a possibilidade de chegar ao título da Copa do Brasil, alguns torcedores manifestaram descontentamento após o empate com o Bahia, na Arena, no último domingo.

Outro ponto fora da rotina foi o treinamento fechado desta terça-feira. A atividade não foi aberta em nenhum momento. O treinador afirmou que trabalhou algumas coisas que precisava, como cobranças de pênaltis. O Grêmio terá o retorno de Kleber, Barcos e Vargas para a partida decisiva.