icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese
22/04/2014
17:48

O meia Renato Augusto segue como dúvida do Corinthians para o duelo contra o Flamengo, neste domingo, no Pacaembu, pela segunda rodada do Brasileirão. Na manhã desta terça-feira, o jogador foi examinado pelo departamento médico, que manteve o diagnóstico da última quinta: não há lesão, apenas uma inflamação na região da articulação do joelho direito. As dores melhoraram.

- Renato está melhor, teve uma melhora de sábado para hoje (segunda). Agora ele não tem dor, mas também não fez nenhum trabalho físico mais pesado. Estamos fazendo tratamento na fisioterapia, a partir de amanhã (quarta), dependendo da evolução dele, a gente vai começar a incrementar um pouquinho as atividades para ver se ele responde positivamente - afirmou o médico Guilherme Runco, na tarde desta terça-feira, no CT Joaquim Grava.

- Foi feita uma ressonância semana passada, ele teve um processo inflamatório, mas nenhum problema grave a princípio - completou o médico, ressaltando que não há nenhuma lesão no local.

Nesta terça, Renato chegou pela manhã ao CT e ficou na academia, em dois períodos, realizando fisioterapia. Apesar de apresentar evolução em relação às dores, ainda não se sabe quando ele poderá ir novamente a campo.

- Não dá para descartar nada ainda, mas difícil (jogar contra o Flamengo). Ele precisa se recuperar até quinta-feira, no máximo, para voltar a treinar com o grupo. Vamos aguardar a evolução até amanhã (quarta) para ver o que vai acontecer - disse Runco.

Renato sentiu dores no local no treino de quinta-feira. Sem lesão, ele foi liberado pelo consultor-médico Joaquim Grava e participou de 20 minutos do coletivo de sexta-feira entre os titulares. No sábado pela manhã, treinou novamente mas, com apenas 11 minutos de atividade, sentiu novas dores e saiu do campo com auxílio de um carrinho de golfe.

Em agosto do ano passado, o meia realizou uma artroscopia no mesmo joelho para corrigir uma membrana inflamada e retirar um pedaço da cartilagem que o incomodava. Seu histórico de lesões preocupa, principalmente pela parte psicológica do meia.