icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/03/2014
14:53

O técnico Mano Menezes credita a eliminação precoce do Corinthians no Campeonato Paulista à renovação que iniciou no elenco durante a competição. Dos jogadores que iniciaram a temporada, Edenilson, Ibson, Douglas, Pato e Paulo André saíram, enquanto Uendel, Bruno Henrique, Jadson e Luciano foram contratados e atuaram em diversas partidas.

Nesta quarta-feira, o meia Renato Augusto citou o exemplo da seleção da Alemanha para lembrar que renovar é sofrido, mas que pode render frutos no futuro. Na Copa de 2010, o técnico germânico Joaquim Löw apostou em promessas como Neuer, Khedira, Özil, Kroos e Muller, que até então eram quase desconhecidos e hoje estão entre os principais jogadores do mundo, atuando nas principais equipes. A Alemanha, terceira colocada na Copa de 2010, é considerada uma das potências para conquistar a Copa de 2014.

- Toda renovação de elenco é complicada. Cheguei na Alemanha em 2007, a seleção estava passando por isso e hoje é o que é. Hoje, você vê na seleção jogadores de 23, 24 anos no topo do mundo. Quando se está fazendo uma renovação, existem altos e baixos, pela baixa idade dos jogadores. O Corinthians, por ter vencido muito em um passado recente, faz com que haja uma comparação inevitável. Mas é renovação, é preciso paciência, é difícil... Só o futuro vai poder dizer se vai dar certo ou não - afirmou o camisa 8 do Timão.

- A diferença é de cabeça, tínhamos jogadores mais rodados, agora temos muitos jovens mesclando. A idade pesa um pouco em alguns momentos, tanto no lado positivo quanto no negativo. Agora, só o tempo vai dizer o que pode acontecer - completou.

O jogador concordou com o técnico Mano Menezes e disse acreditar em uma evolução da equipe na reta final do Paulistão, apesar de a vaga à segunda fase não ter sido alcançada. Para ele, porém, ainda não é garantia de sucesso no Brasileirão.

- Sobre a crescente que estamos apresentando, é importante, mas o que vai pesar é o Brasileiro. O início do Brasileiro vai mostrar bastante se a gente cresceu ou não - afirmou Renato.