icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/02/2015
17:34

O ator neozelandês Russell Crowe acenou com a possibilidade de comprar o Leeds, clube de futebol que torce na Inglaterra. Porém, está longe de ser o primeiro astro de Hollywood, cantor, ou qualquer outro tipo de celebridade a se aventurar. Ele mesmo já tem um time de rúgbi na Austrália. Mas a lista de outros que já tentaram, inclusive dentro de campo, é vasta. Elton John, Justin Timberlake, Usher, Fergie, e até Julio Iglesias, esse dentro de campo.

Por pouco, Russell Crowe tem a possibilidade de ser um rival de Elton John. O autor de clássicos como Rocket Man, Skyline Pigeon, Your Song e outras dezenas de músicas é um torcedor fanático do Watford, também da Segunda Divisão Inglesa. O cantor começou a se envolver em 1976 e chegou à presidência, cargo que ocupou por 35 anos.

Mais duas celebridades inglesas também já estiveram em seus clubes do coração. Sebastian Coe, medalha de ouro duas vezes nos 1500 metros pela Grã-Bretanha nos Jogos Olímpicos e influente político britânico, já foi da diretoria do Chelsea. O rival dos Blues na final da Copa da Liga Inglesa neste domingo, também já teve um astro por lá. Lord Alan Sugar, magnata que até foi apresentador da versão local do programa "O Aprendiz", comandou o Tottanham entre 1991 e 2001. Foi o responsável pela contratação de Jürgen Klinsmann pelos Spurs.

Rivais londrinos, Chelsea e Tottenham já tiveram celebridades em suas diretorias (Foto: AFP)

Outro astro da música, mas bem menos conhecido que Elton John, também assumiu o clube do coração. João Loureiro, líder da banda de rock Ban, de Portugal, é presidente do Boavista desde 2013.

Se no futebol esse hábito ainda não é tão grande assim, nos Estados Unidos já é praticamente uma tendência. O Miami Dolphins, por exemplo, é praticamente um tapete vermelho. O magnata Stephen M. Ross tem 95% das ações do time de futebol americano, mas o restante está distribuído entre Fergie, Marc Anthony, o casal Gloria e Emilio Estefan, as irmãs Venus e Serena Williams, além da cantora Fergie. Jennifer Lopez já esteve envolvida, mas saiu.

A NBA é um verdadeiro celeiro de celebridades em cargos importantes. Talvez o mais significativo seja o rapper Jay-Z. O cantor comprou grande parte do New Jersey Nets, e até fez a equipe se mudar para Brooklyn, sua terra. Acabou vendendo para o ex-jogador Jason Kidd. O ator e também cantor Will Smith falava tanto sobre Philadelphia na clássica série "Um Maluco no Pedaço", sua cidade, que acabou comprando uma parte do 76ers. Até LeBron James, hoje grande astro da modalidade, já foi se aventurar e teria comprado uma parte do Liverpool.

Philadelphia tem Will Smith como um dos comandantes (Foto: David Sherman/NBAE)

Também cantores, Usher tem uma parte do Cleveland Cavaliers, Nelly foi sócio de Michael Jordan no então Charlotte Bobcats (hoje Hornets), e Justin Timberlake do Memphis Grizzlies. Até na WNBA, a liga de basquete feminino, já teve uma estrela. Michelle Williams, que foi do Destiny's Child, é hoje sócia do pai de sua ex-colego Beyoncé. Ela e Mathew Knowles são sócios no Chicago Sky.

No mundo do automobilismo, quem já foi se aventurar foi David Letterman, apresentador do The Late Show. Nascido em Indianápolis, ele é dono da equipe Rahal Letterman Lanigan Racing, que corre na American Le Mans Series e na IndyCar Series.

Casillas é ídolo e capitão do Real, mas há muito tempo, Julio Iglesias quis ser isso (Foto: Javier Soriano/ AFP)

Voltando para o futebol, algumas celebridades tentaram a vida dentro de campo. Antes de ser um cantor mundialmente famoso, Julio Iglesias tentou ser goleiro do Real Madrid. Um acidente de carro acabou encerrando a sua carreira. Quem também chegou a defender bolas foi o escritor Albert Camus. O franco-argelino defendeu o Racing Argel. Voltando à capital espanhola, Marco Luque tentou a vida como jogador por lá. O humorista chegou a ser do Rayo Vallecano, além de Numancia e Santo André.

Nuno Leal Maia, o eterno Pasqualete de "Malhação", e ator de tantas outras obras, jogou na base do Santos, e depois treinou profissionalmente clubes como Londrina e São Cristóvão.