icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
19/03/2014
15:47

A CSI (Confederação Sindical Internacional) elaborou um estudo e chegou à conclusão de que 1,2 mil trabalhadores (todos imigrantes da Índia e do Nepal) já foram mortos desde o início da preparação para a Copa do Mundo de 2022, no Qatar. De acordo com o relatório, as causas estão ligadas a ataques cardíacos, acidentes de trabalho ou doenças causadas pelas condições miseráveis.

O prognóstico é ainda mais pessimista: segundo a CSI, mais de 4 mil pessoas ainda perderão suas vidas.

No Qatar, os imigrantes representam mais da metade da população, segundo reporta a entidade. O número de estrangeiros chega a 1,4 milhões numa população de 2 milhões de pessoas.

E MAIS
> HOME: Confira as últimas do futebol internacional
> Jornal inglês traz mais uma notícia contra Qatar-2022

O comitê organizador de 2022 afirmou ao jornal "The Wall Street Journal" que os dados da CSI não são confiáveis. Em contrapartida, os dirigentes do Mundial reconhecem problemas de infraestrutura.

O país foi escolhido para sedir a Copa do Mundo em dezembro de 2010.