icons.title signature.placeholder Russel Dias
04/03/2014
08:02

Em 2013, Alison não só ganhou espaço no Santos, como virou um dos queridinhos da torcida e do técnico Claudinei Oliveira, que não o tirava do time. No entanto, o jogador começa 2014 quase do zero. Machucado, ele não conseguiu se “mostrar” ao técnico Oswaldo de Oliveira e viu o também volante Alan Santos ganhar a confiança do treinador.

Porém, recuperado recuperado de um edema na região do púbis e de dores na coxa esquerda, o cão de guarda do Peixe promete voltar com tudo. Há 20 dias, Alison começou a treinar com bola e participou de dois jogos-treinos no CT Rei Pelé. O treinador chegou a relacioná-lo recentemente para a o jogo contra o Atlético Sorocaba, na Vila Belmiro, mas não o escalou.

O próximo passo do volante para voltar a jogar é conquistar a confiança de Oswaldo, mas para isso ele terá que entrar numa disputa acirrada, com seus colegas da base, Alan Santos e Leandrinho.

– Essa disputa no meio sempre foi muito difícil, ano passado eu pude ter uma sequência boa de jogos; Acho que o Alan Santos e o Leandrinho também tem uma experiência no profissional. A disputa tem que ser sadia, nos treinamentos, cada um demonstrando seu futebol – afirmou, ao LANCE!Net.

O jogador tem um trunfo que pode lhe ajudar a voltar ao time. Ele também pode atuar como zagueiro, posição na qual o Peixe tem problemas desde as lesões de Edu Dracena e Gustavo Henrique, que só voltam ao time depois da Copa do Mundo. Oswaldo já o testou na posição durante os treinos e não descarta aproveitá-lo assim. Alison garante que está preparado e lembra que já atuou de beque no passado.

– Já joguei como zagueiro na base. Não é a minha posição de ofício, ,as eu estou ali pra ajudar em qualquer posição que me pedirem!

Bate-Bola com Alison, volante do Santos, em entrevista ao LANCE!Net:

Como foi a recuperação da lesão? Já está pronto para voltar?
Foi boa, um pouco complicada. Quando a gente volta, acaba sentindo um pouco de incômodo, mas eu já estou liberado. Agora, com os jogos-treinos, vou me recuperando e pegando o ritmo também.

Você teve uma pubalgia?
Foi um edema, não chegou a ser lesão. Eu já tinha sentido alguns incômodos e quando fiz os exames deu um edema no púbis, que refletiu no músculo adutor da coxa.

Temeu ficar muito tempo longe dos campos, como aconteceu devido a sua lesão no joelho, em 2011?
A gente fica com um pouco de medo. Essa lesão no púbis foi complicada, acho que esse tempo que eu fiquei parado já foi muito. Graças a Deus deu para me recuperar bem.

Teve alguma conversa com o Oswaldo quando ele chegou?
Ele falou para eu me recuperar bem e só depois voltar a treinar. Disse para eu não ter pressa, para me recuperar bem, para estar “zerado” quando voltar. Foi o que fiz.

Com o Santos tendo problemas na zaga, você poderia jogar nessa posição. O Oswaldo já falou com você sobre essa improvisação?
Teve um treino em que ele me colocou de zagueiro. Acho que em uns dois ou três treinos ele me utilizou na zaga. Mas não falou muito a respeito. Tem um pouco de diferença porque eu estou acostumado a jogar como volante, acabei perdendo o costume. Mas não e difícil se adaptar, estou aqui para ajudar.