icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão
07/11/2013
07:14

Exatamente dez meses depois, o Fluminense está de volta a Atibaia, onde realizou a pré-temporada e se preparou para um ano que prometia ser de glórias. Hoje, porém, a seis jogos do fim do Campeonato Brasileiro, a realidade é bem diferente dos sonhos do início do ano. A luta agora é para escapar da zona de rebaixamento, na qual o time pode entrar caso não vença o Corinthians neste domingo, em Araraquara.

A chegada à cidade paulista, no dia 5 de janeiro, foi uma novidade. Após três anos realizando a pré-temporada em Mangaratiba (RJ), a diretoria tricolor resolveu mudar o planejamento e buscar paz em Atibaia. Após as conquistas do Brasileiro e do Campeonato Carioca em 2012, a esperança era chegar ao tão sonhado título da Copa Libertadores. Mas nada acabou acontecendo. E os números provam isso. Em 2013, já foram disputados 61 jogos, com 24 vitórias, 16 empates e 21 derrotas, com o aproveitamento de apenas 51% dos pontos disputados.

E MAIS
- Exclusivo! Peter Siemsen fala sobre o futuro do Flu e a luta pela reeleição
- Torcedor cria vídeo motivacional para ser exibido aos atletas do Flu

Além de não faturar nenhum caneco, o badalado e milionário elenco tricolor passou por grandes mudanças e retorna a Atibaia em um momento de tensão. A tranquilidade encontrada no início do ano é página virada. Também pudera. O Fluminense é o 16° colocado no Campeonato Brasileiro, com o mesmo número de pontos do Vasco, primeiro do Z4, e com 47% de chances de cair para a Série B. O retorno à cidade paulista é encarado como um recomeço, uma forma de unir o grupo para não encerrar o ano de forma melancólica.

Hoje titular, o jovem Biro Biro é um dos que não estiveram na cidade no início do ano, para a pré-temporada. Promovido aos profissionais no meio deste ano, ele já sabe a responsabilidade que tem em ajudar a equipe a sair do momento conturbado. E o segredo, para ele, está na tranquilidade e no trabalho em grupo.

– É importante buscar a paz. Este é um momento no qual vamos ficar um pouco mais juntos e servirá para melhorar o entrosamento. Não que a gente não tenha esse entrosamento dentro de campo, mas isso é muito bom. A escolha que a diretoria fez foi excelente. Agora temos de trabalhar para vencer o Corinthians no domingo – disse o jovem atacante.


Presidente do Fluminense visita jogadores em Atibaia (Foto: Divulgação/ Fluminense F.C)

Além da paz para trabalhar, o retorno para Atibaia está diretamente ligado à fúria da torcida pela campanha decepcionante. Após protestos e até atos de vandalismo nas Laranjeiras, o comando do departamento de futebol resolveu tirar a equipe do Rio de Janeiro. A torcida agora é para que o time possa retornar em paz.

LUXEMBURGO POR UM FIO

Instável no cargo de treinador do Fluminense há algumas semanas, Luxemburgo pode não resistir a um mau resultado diante do Corinthians neste domingo. Depois de quase ser demitido após a derrota para o Vitória e ser garantido no cargo depois de perder novamente, desta vez o clássico para o Flamengo, Luxa está com a cabeça a prêmio para este decisivo confronto.

O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, que concedeu entrevista coletiva no Maracanã após o clássico, confirmou o treinador no comando para esta nova partida, mas não o garantiu em caso de novo revés. Um empate com o Timão, somado a vitórias de Ponte Preta ou Vasco, colocam o Fluminense na zona de rebaixamento, faltando cinco rodadas para o fim da competição.

Atacantes do Fluminense treinam finalização em Atibaia