icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira e Walace Borges
icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira e Walace Borges
17/07/2013
17:41

Um processo movido pela Fazenda Nacional e pela da Receita Federal resultou na penhora dos direitos econômicos de Dória. Hoje, o Glorioso possui 40% do total. Desta maneira, caso venda o zagueiro ainda nesta janela de transferências, o clube não receberá o dinheiro até que faça um acordo com os órgãos. Atualmente, a multa rescisória para tirar Dória do Botafogo está fixada em dez milhões de euros (cerca de R$ 29 milhões).

Apesar de o camisa 21 não ter uma proposta oficial para deixar o Alvinegro, a diretoria já se movimenta para solucionar a situação o mais rapidamente possível. Isso porque o Botafogo sabe que o jovem sofre assédio de vários clubes. A crise financeira que o Glorioso atravessa torna o cenário ainda mais preocupante.

E MAIS

- CBF muda Botafogo x Náutico para 18h30 de sábado, em São Januário
- Dirigente do Bota diz que não vai trazer lateral e crê em Edílson e Gilberto

NINGUÉM CALA

- Dificuldade, uma palavra que não assusta mais o Botafogo

- O Botafogo está passando por alguns problemas com a Receita e estamos fazendo o possível para solucioná-los. Neste caso do Dória, não é nada de imediato, mas que pode nos complicar no futuro - afirmou o gerente executivo do Botafogo, Aníbal Rouxinol, ao LANCE!Net.

Dória, de 18 anos, é visto como uma mina de ouro pela diretoria. Desde o fim do ano passado, quando se firmou entre os titulares do time e até chegou à Seleção Brasileira, o defensor vem destacando-se. Por muito pouco, neste ano, o atleta não se transferiu para o Cruzeiro. O Grupo DIS ofereceu 7 milhões de euros (cerca de R$ 20,4 milhões) por Dória para colocá-lo na Raposa. O Alvinegro, porém, recusou-se a negociá-lo com o investidor.

Vale lembrar que o Glorioso ainda não conseguiu receber o dinheiro das transferências de Fellype Gabriel (para o Sharjah FC, dos Emirados Árabes Unidos) e de Andrezinho (para o Tianjin Teda, da China). Desta maneira, o clube deixou de receber aproximadamente R$ 10 milhões.

Um processo movido pela Fazenda Nacional e pela da Receita Federal resultou na penhora dos direitos econômicos de Dória. Hoje, o Glorioso possui 40% do total. Desta maneira, caso venda o zagueiro ainda nesta janela de transferências, o clube não receberá o dinheiro até que faça um acordo com os órgãos. Atualmente, a multa rescisória para tirar Dória do Botafogo está fixada em dez milhões de euros (cerca de R$ 29 milhões).

Apesar de o camisa 21 não ter uma proposta oficial para deixar o Alvinegro, a diretoria já se movimenta para solucionar a situação o mais rapidamente possível. Isso porque o Botafogo sabe que o jovem sofre assédio de vários clubes. A crise financeira que o Glorioso atravessa torna o cenário ainda mais preocupante.

E MAIS

- CBF muda Botafogo x Náutico para 18h30 de sábado, em São Januário
- Dirigente do Bota diz que não vai trazer lateral e crê em Edílson e Gilberto

NINGUÉM CALA

- Dificuldade, uma palavra que não assusta mais o Botafogo

- O Botafogo está passando por alguns problemas com a Receita e estamos fazendo o possível para solucioná-los. Neste caso do Dória, não é nada de imediato, mas que pode nos complicar no futuro - afirmou o gerente executivo do Botafogo, Aníbal Rouxinol, ao LANCE!Net.

Dória, de 18 anos, é visto como uma mina de ouro pela diretoria. Desde o fim do ano passado, quando se firmou entre os titulares do time e até chegou à Seleção Brasileira, o defensor vem destacando-se. Por muito pouco, neste ano, o atleta não se transferiu para o Cruzeiro. O Grupo DIS ofereceu 7 milhões de euros (cerca de R$ 20,4 milhões) por Dória para colocá-lo na Raposa. O Alvinegro, porém, recusou-se a negociá-lo com o investidor.

Vale lembrar que o Glorioso ainda não conseguiu receber o dinheiro das transferências de Fellype Gabriel (para o Sharjah FC, dos Emirados Árabes Unidos) e de Andrezinho (para o Tianjin Teda, da China). Desta maneira, o clube deixou de receber aproximadamente R$ 10 milhões.