icons.title signature.placeholder Raphael Martins
01/04/2014
15:35

Uma obsessão que já leva 12 anos. Assim é a forma como o Real Madrid encara a busca pela sua décima conquista da Liga dos Campeões. História que terá mais um capítulo nesta quarta-feira, quanto os merengues receberão o Borussia Dortmund, no Santiago Bernabéu, pelas quartas de final da competição europeia.

"La Décima", como preferem chamar os madridistas, se transformou no Santo Graal para o clube merengue. Uma cruzada que já custou ao clube 1,13 bilhão de euros (R$ 3,5 bilhões) em contratações.

O presidente Florentino Pérez é o principal impulsionador desta busca incessante. Ele ainda estava em seu primeiro mandato, em 2002, quando o Real Madrid levantou a taça de campeão da Europa pela última vez. Durante o intervalo de 2006 a 2009 foi Ramon Calderón quem manteve a obsessão por "La Décima".

- Vamos fazer o máximo para ganhar a Décima em 2014. Isso é o que mais queremos - disse o presidente, no dia 31 de dezembro, em sua mensagem de ano novo.

Obsessão essa que também afeta os jogadores, como Sergio Ramos. O zagueiro chegou a afirmar recentemente que prefere conquistar o título da Liga dos Campeões à Copa do Mundo.

- O Mundial já conquistei e tenho tatuado, a Champions não. Neste momento, prefiro a Décima. Mas se conseguir os dois, melhor - disse o defensor.

A busca pela desejada taça fez com que Florentino Pérez iniciasse, logo na temporada 2002/03, a política dos Galácticos. Todos os anos, o Real Madrid passou a contratar um grande nome. Evidentemente que pagando caro por eles. O primeiro desta lista foi Ronaldo, que custou 45 milhões de euros em 2002.

Uma hemorragia financeira que comprou nomes como Beckham, Cristiano Ronaldo e Bale. Mas que também foi sujeita a decepções como Woodgate, Owen, Sneijder, Van der Vaart, Huntelaar, Sahin, Ilarramendi, os próprios Robinho e Kaká, entre outros.

Ironicamente, o Real Madrid viu neste período o seu maior rival conquistar três vezes a tão ambicionada Liga dos Campeões. O Barcelona levantou o troféu nos anos de 2006, 2009 e 2011, com times compostos com inúmeros jogadores formados na base.

Neste mesmo período de tempo, o Real não chegou a qualquer final europeia. Foi semifinalista nas últimas três edições, de um total de quatro semifinais que chegou desde 2002. Na temporada passada caiu justamente para o Borussia Dortmund, adversário destas quartas de final.

Valores gastos a cada temporada em busca de "La Décima" (em euros):

2002/03 - 45 milhões (Ronaldo)

2003/04 - 37,5 milhões (Beckham)

2004/05 - 56,7 milhões (Gravesen, Woodgate, Owen e Samuel)

2005/06 - 89,5 milhões (Cassano, Cicinho, Sergio Ramos, Robinho e Júlio Baptista)

2006/07 - 103 milhões (Gago, Higuaín, Marcelo, Mahmadou Diarra, Van Nistelrooy, Emerson e Cannavaro)

2007/08 - 119 milhões (Heinze, Drenthe, Sneijder, Robben e Pepe)

2008/09 - 82,2 milhões (Huntelaar, Lass Diarra, Van der Vaart, Garay, De la Red e Javi García)

2009/10 - 257,4 milhões (Xabi Alonso, Arbeloa, Granero, Benzema, Cristiano Ronaldo, Kaká, Albiol e Negredo)

2010/11 - 93 milhões (Adebayor, Özil, Ricardo Carvalho, Khedira, Pedro León, Di María e Canales)

2011/12 - 55 milhões (Fábio Coentrão, Sahin, Varane e Callejón)

2012/13 - 33,5 milhões (Diego López e Modric)

2013/14 - 163,5 milhões (Bale, Ilarramendi, Isco, Carvajal e Casemiro)

Campanhas do Real Madrid na Champions após o último título:

2003/04 - Eliminado nas quartas de final pelo Monaco

2004/05 - Eliminado nas oitavas de final pela Juventus

2005/06 - Eliminado nas oitavas de final pelo Arsenal

2006/07 - Eliminado nas oitavas de final pelo Bayern de Munique

2007/08 - Eliminado nas oitavas de final pela Roma

2008/09 - Eliminado nas oitavas de final pelo Liverpool

2009/10 - Eliminado nas oitavas de final pelo Lyon

2010/11 - Eliminado nas semifinais pelo Barcelona

2011/12 - Eliminado nas semifinais pelo Bayern de Munique

2012/13 - Eliminado nas semifinais pelo Borussia Dortmund