icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/02/2015
12:02

Ricardo Oliveira só marcou um gol pelo Santos em seis partidas disputadas. Neste domingo, viu Robinho anotar dois e até o lateral-direito Cicinho balançar as redes da Portuguesa na vitória por 3 a 1, no Pacaembu. Como camisa 9, sente o peso de ainda não ter deslanchado nesta segunda passagem pelo Santos, mas admite que também tem tido importante função tática. Segundo o técnico Enderson Moreira, que ressaltou a participação do centroavante fora da área, o momento é natural e fruto de sua readaptação ao Brasil.

- Eu acho que ele trabalha tanto para a equipe, é tão tático, que ajuda muito, faz boas movimentações e às vezes a bola não chega como deveria. Ele não tem tido sorte, a bola escapa um pouco. Mas isso daqui a pouco muda, porque ele tem qualidade. E quem tem qualidade não esquece. É uma questão de readaptação ao Brasil - afirmou o técnico, lembrando que Ricardo Oliveira, de 34 anos, está longe do futebol brasileiro desde 2010.

O camisa 9 do Peixe agora tem a concorrência de Gabigol, que voltou da Seleção Brasileira sub-20 e já está à disposição de Enderson. O número 10, inclusive, atuou pouco mais de 20 minutos no Pacaembu em sua estreia na temporada, e incomodou a defesa da Portuguesa. Para os próximos jogos, Enderson não comenta se haverá mudanças. Ricardo Oliveira, por sua vez, vê a equipe cada vez mais pronta para encarar os desafios da temporada.

- Nosso time gradativamente está crescendo, porque encontrou um padrão de jogo e tem entrosamento. Os treinos têm dado essa desenvoltura ao time, porque todo mundo se conhece e se ajuda. O comprometimento faz uma grande diferença, porque nosso time passou por desconfiança, houve problemas, mas está dando resultado. A gente sabia que os gols iam sair, porque a qualidade do Santos é inquestionável. Nosso time está crescendo, todos estão satisfeitos e agora é passo a passo - disse o camisa 9, sem prometer títulos em 2015, e consciente da razão do entrosamento do Peixe.

- Era muito injusto, para uma competição dessa grandeza, ter poucas semanas de preparação. Com um mês já estamos mais fortes. Isso faz a diferença e agora vamos buscar os resultados - completou Ricardo Oliveira, esperança de gols após a passagem frustrada de Leandro Damião.