icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
08/03/2014
20:30

O Cruzeiro venceu por 2 a 1 o Tupi, neste sábado, no Mineirão. Apesar da forte chuva, o jogo foi bom, principalmente no primeiro tempo, com várias jogadas pelo fundo e os times criando boas chances, com muitos arremates de fora da área. O Tupi, sem vários titulares, saiu na frente com um gol de Toledo. Marcelo Moreno empatou ainda no primeiro tempo. Dedé, de cabeça, fez o gol da vitória. Com o resultado, o Cruzeiro chegou aos 26 pontos na tabela e assegurou o primeiro lugar geral com uma rodada de antecipação. O Tupi tem 15 pontos e, em terceiro lugar, segue com boas chances para assegurar uma das vagas às semifinais.

Antes da partida, os jogadores do Tupi entraram em campo com uma camisa preta que tinha a seguinte frase escrita com letras brancas: "não importa a cor da pele, por dentro somos todos iguais: somos pretos, somos brancos, somos alvinegros de coração".

Era uma homenagem para Tinga, vítima de racismo no jogo contra o Real Garcilaso, no Peru, na rodada de abertura da fase de grupos da Libertadores. Nas costas da mesma camisa também havia uma mensagem de apoio ao veterano atacante Ademílson, ídolo maior do Tupi e que rompeu o tendão de Aquiles, irá operar nesta segunda-feira e vai parar por pelo menos quatro meses.

Os jogadores entregaram uma das camisas para Tinga, escalado no banco de reservas.

- Tinga é exemplo de profissional. Prestamos esta homenagem para ele - disse Miriam Fortuna, que é a única mulher a presidir um clube em Minas Gerais.

Em campo, o Cruzeiro surpreendeu na escalação. O treinador Marcelo Oliveira optou por alterar os dois laterais: Henrique começou a partida pela direita, no lugar de Ceará, e Luan pela esquerda, na vaga de Egídio.

- O elenco é forte e temos jogos difíceis pela frente. Resolvi poupar os laterais para entrar com um time ainda mais forte na Libertadores - disse Marcelo Oliveira.

O Tupi, que jogará pela Copa do Brasil nesta quarta-feira, contra o Juazeiro, na Bahia, também entrou com algumas alterações no time titular, como o atacante Núbio, artilheiro do time na temporada.

Como era esperado, o Cruzeiro começou em cima, com Ricardo Goulart, Éverton Ribeiro e Willian se movimentando muito, buscando desnortear a marcação do Galo Carijó.

Só que o Tupi estava bem postado em campo, num 4-3-3 ousado e criou a primeira grande chance do jogo aos seis minutos. Após escanteio, num lance confuso no qual a bola bateu na mão de Leo e os jogadores do Tupi chegaram a pedir pênalti, a bola sobrou fora da área para Toledo e este chutou para grande defesa de Fábio. O Cruzeiro respondeu à altura: no minuto seguinte, após cruzamento de Willian pela esquerda, Marcelo Moreno concluiu e o zagueiro Felipe Lima salvou o gol quase em cima da linha.

Mesmo sob forte chuva, o jogo era bom, com os dois times buscando o ataque. Aos 11 minutos Luan obrigou o goleiro Jordan a fazer ótima defesa, evitando o primeiro gol cruzeirense. Mas quem carimbou a rede foi o Tupi. Numa cobrança de falta, o lateral-esquerdo Toledo mandou uma bomba. A bola bateu em Rodrigo Souza e matou o goleiro Fábio, aos 16 minutos.

O Cruzeiro seguiu em cima. O lateral Luan, praticamente um atacante, voltou a arriscar de longe. Mais uma vez Jordan defendeu. A pressão era total e aos 21 minutos a Raposa chegou ao empate. Willian lançou Luan e este, em tarde endiabrada, cruzou da esquerda na cabeça de Marcelo Moreno. 1 a 1.

O interessante é que o Tupi não estava retrancado. Muito pelo contrário, se abria lá atrás e chegou até a levar contra-ataques da Raposa. Num deles, aos 26 minutos, Éverton Ribeiro achou Willian pela direita e, por pouco, não saiu o gol da virada: o bigodudo tropeçou na hora da definição.

O Cruzeiro seguiu buscando aproveitar o gramado escorregadio para arriscar de fora da área. Numa delas, aos 38 minutos, Rodrigo Souza chutou da entrada da área e a bola passou raspando a trave direita de Jordan. O lance voltou a acordar o Cruzeiro e no minuto seguinte Marcelo Moreno, se lançando de carrinho, por pouco não virou o jogo. No fim da primeira etapa, os números indicaram como a partida estava elétrica: 17 finalizações para o Cruzeiro e quatro para o Tupi.

No segundo tempo, o Tupi voltou com uma formação muito mais defensiva, já que o treinador Paulo Campos tirou um homem de frente, Wesley, e colocou mais um zagueiro, o experiente Fabrício Soares.

Com a postura defensiva do rival, o Cruzeiro dominou totalmente as ações. Dedé, de cabeça, aos dois minutos, após cobrança de escanteio, quase marcou para o Cruzeiro. Aos oito o Cruzeiro balançou a rede do Tupi. Mas o auxiliar marcou erradamente um impedimento de Léo num chuveirinho. A pressão seguiu, mas com o Cruzeiro finalizando muito pouco, embora tenha obtido inúmeros escanteios e arriscado vários chuveirinhos para a área nas bolas paradas.

O Tupi se contentava em fazer cera e gastar o tempo, muito contente com o importante ponto conquistado. Só que aos 34 minutos veio o lance decisivo. Após conseguir mais uma falta próxima da área pela direita, Éverton Ribeiro cobrou e Dedé cabeceou para fazer o gol da virada.

Aos 41 quase o Tupi empatou quando Toledo foi ciscando pela esquerda e arriscou um chute de fora da área que resvalou em Ceará e obrigou Fábio a fazer uma bela defesa. O último ataque de perigo, já nos acréscimos, foi da Raposa, com Léo aparecendo na área mas não sendo feliz no arremate.

FICHA TÉCNICA:
Cruzeiro  2x1  TUPI
 
Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 8/3/2014 - 18h30h (de Brasília)
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (CBF/FMF)
Auxiliares:  Márcio Eustáquio Souza Santiago e Mauro Antônio Ferreira Santos
Renda/Público: R$ 358.095/ 11.624 pagantes
Cartões amarelos: Willian e Nilton (CRU)/ Magnum, Toledo, Fabrício Soares, Helder e Sidnei (TUP)
GOLS: Toledo, 16'/1º (0-1); Marcelo Moreno, 21/1º (1-1); Dedé, 34/2º (2-1).

CRUZEIRO: Fábio; Henrique (Ceará - 14'/2º), Dedé, Léo e Luan;  Rodrigo Souza, Nilton, Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart (Marlone - 14'/2º) ; Marcelo Moreno e Willian (Élber - 20'/2º). Técnico: Marcelo Oliveira.

TUPI: Jordan; Henrique, Helder, Rafael Vitor e Toledo; Felipe Lima, Maguinho  (Elder Santana - 30'/2º), e Sidnei; Da Silva (Magnum - 15'/2º),  Rafael Aguiar e Wesley (Fabrício Soares - Intervalo).  Técnico: Paulo Campos.