icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
17/03/2014
15:04

Aos 36 anos, Gustavo Nery já está há 15 meses sem atuar profissionalmente. O tempo, no entanto, não significa que o lateral-esquerdo tenha dado adeus aos gramados. De segunda a sábado, o fluminense de Nova Friburgo divide sua dedicação entre gerir uma empresa automotiva no ABC Paulista e manter a forma física em treinos e jogos.

A última equipe defendida por Gustavo Nery foi o São Bernardo, ainda em 2012. O ex-lateral de Guarani, Santos, Coritiba, São Paulo, Werder Bremen, Corinthians, Zaragoza, Fluminense e Internacional garante que continua apto para jogar e aponta até testemunhas para comprovar o fato: Dodô, Fabiano, Rincón, Kléber e Rubens Cardoso, companheiros de Gustavo em pelada disputada no Arujá todas as quartas.

- Eu montei uma empresa, já há um ano, de blindagem, funilaria e mecâninca. Uma empresa automotiva bem grande aqui no ABC, um projeto que está crrendo tudo conforme eu esperava. Mas eu não deixo de treinar, de jogar minha bola. Só no domingo eu descanso. De segunda a sábado pratico o que mais gosto e o pessoal brinca que eu deveria continuar jogando como profissional - contou Nery ao LANCE!Net.

E segundo o agora empresário, propostas para retomar a carreira não faltaram nos últimos meses. Gustavo preferiu não revelar os nomes das equipes interessadas, mas avisou que se um de seus ex-clubes estiverem dispostos, pensaria em voltar a ser atleta profissional. Mais uma vez ressaltando suas condições físicas, o carioca aproveitou para criticar a qualidade da geração atual do futebol brasileiro.

- Tive propostas não muito tentadoras, que nem vale a pena falar. Estou focado na minha empresa e só pensaria em voltar se fosse em algum clube que já passei. O momento é outro. O futebol hoje está mais prático para jogar, antes tinha mais qualidade nos jogadores. Mudou muito, precisa ter mais jogadores de qualidade, estamos carentes disso - opinou.