icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
16/02/2015
09:06

Nem Gustavo Kuerten, Fernando Meligeni ou Thomaz Bellucci. Se existe um tenista que se dá bem quando joga no Brasil, esse é Rafael Nadal (3). E na abertura do Aberto do Rio, nesta segunda-feira, no Jockey Club, no Rio de Janeiro, fica a pergunta: será que alguém vai conseguir acabar com a invencibilidade do espanhol e tirar o título de suas mãos?

Melhor tenista ranqueado do torneio, primeiro cabeça de chave e considerado o Rei do Saibro. Tudo isso já daria a Nadal o favoritismo. Mas ao analisar os números dele no país, é difícil imaginar algo diferente que não seja mais uma conquista. Afinal, na carreira, disputou três competições no solo brasileiro – todas no saibro –, com três títulos e 100% de aproveitamento: são 14 vitórias.

O espanhol venceu duas vezes o Aberto do Brasil – em 2005, na Costa do Sauípe, e em 2013, em São Paulo – e uma o Aberto do Rio – em 2014. Quando faturou seu primeiro título no país, ainda não tinha toda a fama atual. Era apenas o 48 colocado no ranking da ATP e estava em sua quinta temporada após ter se tornado profissional em 2001. Se não bastasse, tinha somente uma taça em sua galeria: a do torneio de Sopot, na Polônia, em 2004.

Desde então, a carreira mudou. A partir de 2005, Nadal não parou de acumular conquistas. Até por isso, só foi voltar a jogar no Brasil, em 2013, com o torneio em São Paulo.

Na ocasião, o tenista se recuperava de lesões no joelho esquerdo e disputava apenas o segunda competição após sete meses parado. Mesmo assim, saiu com o título.

Já no ano passado, Nadal foi a estrela da primeira edição do Aberto do Rio. E não decepcionou.

O espanhol, agora, busca uma nova recuperação. Neste ano, ainda não embalou, sendo eliminado precocemente no ATP 250 de Doha e no Aberto da Austrália. A estreia é terça-feira, contra Thomaz Bellucci. Nada melhor do que uma disputa no Brasil para voltar a vencer.

RAFAEL NADAL NO BRASIL:

2005
Aos 19 anos, faturou o Aberto do Brasil na Costa do Sauípe (BA), ao bater o espanhol Alberto Martin na decisão por 2 a 1 (6-0, 6-7 [2-7], 6-1). Venceu cinco jogos no torneio.

......................

2013
Já com 27 anos e como quinto do mundo, voltou a faturar o Aberto do Brasil, agora, em São Paulo. Bateu o argentino David Nalbandian na final por 2 a 0 (6-2 e 6-3). Foram quatro triunfos na competição.

......................

2014
Ano passado, levou a primeira edição do Aberto do Rio, com cinco vitórias. Na decisão, passou pelo ucraniano Alexandr Dolgopolov por
2 a 0 ( 6-3 e 7-6[7-3]).