icons.title signature.placeholder Luis Fernando Ramos
icons.title signature.placeholder Luis Fernando Ramos
05/07/2013
16:48

Será que o cockpit mais desejado da Fórmula 1 para 2014 será decidido pela participação popular numa mídia social? Nesta semana, a equipe Red Bull colocou uma enquete em sua página no Facebook, perguntando aos fãs quem eles gostariam que ocupasse a vaga para ser o companheiro de equipe de Sebastian Vettel no ano que vem. Sem nenhuma surpresa, o nome mais popular dentre os três listados é o do finlandês Kimi Raikkonen. No final da manhã de ontem, ele contava com 8.489 votos, contra 3.327 para o australiano Daniel Ricciardo e apenas 712 para o francês Jean-Eric Vergne. A assessoria de imprensa da equipe confirma que a enquete foi colocada no ar pela equipe, mas não diz a pedido de quem. O consultor Helmut Marko, tido por muitos como o dono da palavra final no que se refere aos pilotos da equipe, relativiza a importância da ação na mídia social. - Não uso nem facebook e nem twitter. Não é para mim. Nosso caminho para o ano que vem é claro: faremos uma lista dos pontos positivos e dos negativos de cada candidato e decidiremos ao longo do verão na Europa - afirmou o austríaco em Nürburgring.

Favorito à vaga, Raikkonen desconversa em meio a um turbilhão de perguntas sobre o tema que lhe são feitas diariamente: - Nada é tão claro como vocês pensam. No momento, não tenho nada para o ano que vem. Quando tiver, os informarei. Minha decisão será baseada em diversos fatores. Já estive em diversas equipes e sei o que quero para mim. O ano que vem traz muitas mudanças e é difícil saber onde estão as melhores chances. Decidirei o que acho melhor para mim e o tempo dirá se foi uma decisão certa ou não. Se a escolha da Red Bull recair sobre um dos nomes da “filial” Toro Rosso, é o australiano Daniel Ricciardo quem aparece com chances melhores. Seja pela opinião popular ou pela boa performance demonstrada no GP da Inglaterra em Silverstone. - Seria incrível para mim ter a chance de correr pela Red Bull, mas ainda tenho trabalho a fazer. Fui bem em Silverstone e, se continuar tendo performances como esta, certamente não irá me atrapalhar - avaliou o australiano.

Será que o cockpit mais desejado da Fórmula 1 para 2014 será decidido pela participação popular numa mídia social? Nesta semana, a equipe Red Bull colocou uma enquete em sua página no Facebook, perguntando aos fãs quem eles gostariam que ocupasse a vaga para ser o companheiro de equipe de Sebastian Vettel no ano que vem. Sem nenhuma surpresa, o nome mais popular dentre os três listados é o do finlandês Kimi Raikkonen. No final da manhã de ontem, ele contava com 8.489 votos, contra 3.327 para o australiano Daniel Ricciardo e apenas 712 para o francês Jean-Eric Vergne. A assessoria de imprensa da equipe confirma que a enquete foi colocada no ar pela equipe, mas não diz a pedido de quem. O consultor Helmut Marko, tido por muitos como o dono da palavra final no que se refere aos pilotos da equipe, relativiza a importância da ação na mídia social. - Não uso nem facebook e nem twitter. Não é para mim. Nosso caminho para o ano que vem é claro: faremos uma lista dos pontos positivos e dos negativos de cada candidato e decidiremos ao longo do verão na Europa - afirmou o austríaco em Nürburgring.

Favorito à vaga, Raikkonen desconversa em meio a um turbilhão de perguntas sobre o tema que lhe são feitas diariamente: - Nada é tão claro como vocês pensam. No momento, não tenho nada para o ano que vem. Quando tiver, os informarei. Minha decisão será baseada em diversos fatores. Já estive em diversas equipes e sei o que quero para mim. O ano que vem traz muitas mudanças e é difícil saber onde estão as melhores chances. Decidirei o que acho melhor para mim e o tempo dirá se foi uma decisão certa ou não. Se a escolha da Red Bull recair sobre um dos nomes da “filial” Toro Rosso, é o australiano Daniel Ricciardo quem aparece com chances melhores. Seja pela opinião popular ou pela boa performance demonstrada no GP da Inglaterra em Silverstone. - Seria incrível para mim ter a chance de correr pela Red Bull, mas ainda tenho trabalho a fazer. Fui bem em Silverstone e, se continuar tendo performances como esta, certamente não irá me atrapalhar - avaliou o australiano.