icons.title signature.placeholder Eduardo Moura
11/03/2014
21:14

Dois casos de racismo serão julgados pelo TJD-RS em cinco dias. Trata-se das ofensas sofridas pelo árbitro Márcio Chagas, no duelo entre Esportivo e Veranópolis, e do xingamento de um torcedor do Pelotas ao goleiro Lúcio do São Paulo-RS. Dependendo do entendimento dos auditores, o Esportivo pode ser excluído do Campeonato Gaúcho, enquanto o Pelotas pode receber multa e o torcedor ficar fora dos estádios por 720 dias.

O primeiro caso a ser julgado será o do árbitro. Apesar de ter acontecido depois, será apreciado nesta quinta-feira, dia 13. O Esportivo pode perder 9 pontos na competição, se for considerado culpado, ou até mesmo ser excluído do Gauchão, em pena prevista no parágrafo terceiro do artigo 243-G do CBJD.

A presença de Chagas e de seus assistentes na partida, Marcelo Bertanha Barison e Antonio Cezar Domingues Padilha, foi requerida. O Esportivo pode perder até nove pontos por conta da reincidência: os torcedores xingaram Márcio Chagas quando este entrava no gramado e saía, e depois o carro do juiz foi encontrado depredado e com bananas em cima.

CASO PELOTAS

Já o Pelotas pode ser punido por conta da conduta racista de um torcedor, que foi identificado no momento das ofensas e detido. Quem relatou o caso em súmula foi Márcio Chagas, árbitro da partida entre o Lobão e o São Paulo, na Boca do Lobo. O torcedor foi detido, pagou fiança, mas pode ficar 720 dias sem assistir a uma partida no estádio. Já o clube, se considerado culpado, pode ser suspenso de 120 a 360 dias e receber multa de R$ 100 a R$ 100 mil, segundo parágrafo segundo do artigo 243-G. Este julgamento acontece na próxima terça-feira, dia 18, no TJD.