icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
23/11/2014
02:53

Enquanto o Chile faz os últimos preparativos para receber o sorteio da Copa América-2015, um episódio de racismo deixou futebol local conturbado. O alvo foi o atacante venezuelano Emilio Rentería, do San Marcos de Arica, durante a partida contra o Deportes Iquique. Por causa dos insultos, o jogo nem terminou.

O mau exemplo das arquibancadas começou aos 46 do primeiro tempo, assim que Rentería marcou o gol que colocou o San Marcos em vantagem. Na comemoração, o jogador trocou a euforia por balançar as redes pelo choro da decepção de ter sido ofendido pelos torcedores do Iquique.

Os gritos continuaram e o áribtro Julio Bascuñán não teve outra alternativa a não ser encerrar a partida aos 25 minutos do segundo tempo. Não foi a primeira vez que Rentería foi alvo de insultos racistas. Ele já tinha sofrido a mesma coisa no jogo contra o O'Higgins.

A Associação Nacional de Futebol Profissional do Chile (ANFP) se manifestou logo depois através de uma nota. A entidade condenou " da maneira mais enérgica os incidentes". Além disso, o setor de competições vai pedir com urgência o relato do árbitro e do chefe de segurança do Arica, mandante da partida, para então encaminhar o caso ao Tribunal de Disciplina.

O caso gerou repercussão entre os próprios jogadores chilenos.

- É lamentável que ainda existam atos de racismo em nosso futebol com um companheiro de profissão. Uma pena - disse o volante Claudio Maldonado, que defender diversos clubes no Brasil, via Twitter.

Neste domingo, dia em que o Comitê Executivo da Conmebol se reúne em Viña del Mar, local do sorteio da Copa América na segunda-feira, o Apertura chileno continua, com direito a um duelo entre Colo Colo e Universidad Católica.