icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/04/2014
14:55

O pai e agente de Alan Kardec, que tem o mesmo nome do atacante do Palmeiras, diz que deu todas as chances ao Palmeiras para acertar a renovação com o camisa 14, durante os quase dois meses de arrastada negociação. Agora, com os representantes do atleta já com salários acertados com o rival São Paulo, Kardec "pai" colocou como gota d'água para a busca de outros clubes o recuo de Paulo Nobre após as partes chegarem a um acordo salarial, sem a presença do presidente alviverde, em um evento na CBF.

- Foi uma série de falhas de comunicação. Esse episódio que foi mencionado acabou sendo a gota d'água - resumiu Alan Kardec, em entrevista para a Fox Sports, alegando que o mandantário palmeirense, ao ser informado da oferta, queria uma diminuição de R$ 5 mil nos valores então acertados, que giravam em torno de R$ 220 mil, além de acréscimos por produtividade, em um contrato de cinco anos.

A indefinição alviverde fez o Tricolor entrar forte na disputa. Com um valor de R$ 300 mil mensais, São Paulo e jogador acertaram as bases do acordo. Carlos Miguel Aidar, novo presidente do time do Morumbi, chegou a anunciar na noite de sábado a contratação de Kardec, e voltou atrás minutos depois.

Apesar da empolgação no São Paulo, o clube não irá confirmar a contratação até que as pendências com o Palmeiras se resolvam - o contrato de Alan Kardec com o Verdão é válido até o fim de junho, sendo que a preferência pela compra é até o fim de maio.

A oferta feita pelo rival alviverde ao Benfica (POR), dono dos direitos do camisa 14, foi de 4,5 milhões de euros (R$ 13,7 milhões), igualada pela diretoria de Nobre, que antes tinha apalavrado com os lusos a venda no valor de 4 milhões de euros (R$ 12,5 milhões). O Tricolor, porém, também assegurou aos Encarnados o direito a 10% em uma venda futura.

Apesar do acordo entre Kardec e São Paulo, o pai do jogador ainda fala que não há nada concretizado. Ele mostra, contudo, que sua palavra dada ao clube tricolor irá pesar.

- Na realidade, quanto ao Palmeiras igualar junto ao Benfica os valores, o grande problema que vejo foi a palavra que empenhei de que quem me fizesse uma proposta eu ouviria, e que se gostasse, aceitaria. Oferecemos todas as chance e as oportunidades ao Palmeiras. Claro que não tem nada concretizado, mas se depender apenas da minha palavra, fatalmente aconteceria esse desfecho. Não era o que queríamos, mas Kardec é profissional, precisa estar em atividade, jogando - completou.