icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/02/2015
15:54

O trio ofensivo entre Neymar, Messi e Luis Suárez poderia nunca ter jogado junto. Isso porque o Chelsea foi o primeiro clube da Europa a tentar a contratação do brasileiro, quando ele tinha apenas 18 anos, segundo o jornal "Sport", da Catalunha. Ele era um dos sonhos de Roman Abramovic, dono do clube inglês, que fez a proposta pela Joia em agosto de 2010,  na mesma época em que o craque foi chamado pela primeira vez para a Seleção Brasileira, que era comandada pelo técnico Mano Menezes.

O ex-presidente do Santos Luis Álvaro de Oliveira revelou na época que o dono do Chelsea fez uma oferta de 30 milhões de euros, cinco a menos que a cláusula de rescisão que tinha o atacante. Laor explicou que o magnata teria uma reunião o jogador e seu pai, além do agente Wagner Ribeiro, um advogado dos Blues e representantes do clube inglês. O intermediário do negócio era o iraniano Kia Joorabichian, ex-testa de ferro da MSI, que gerenciou o futebol do Corinthians.

E MAIS
- Bomba da Segunda Guerra é achada no estádio do Borussia Dortmund

Na proposta, o Chelsea oferecia, além dos polpudos salários para Neymar, escola para sua irmã, trabalho para a família, automóvel e uma grande quantidade de benefícios.

No entanto, o Santos não queria se desfazer do jogador e acreditava conseguir vendê-lo por um preço mais vantajoso. Mas, para isso, teria que oferecer mais ao craque. O clube, então, pediu para o pai de Neymar não aceitar a proposta dos Blues para lhe apresentar uma contraproposta.


Neymar ainda era bem jovem quando o Chelsea fez proposta (Foto: Eduardo Viana/ LANCE!Press)

E ela foi feita e o craque brasileiro teria plano de carreira, participação nos direitos de imagem, um grupo de profissionais dedicados a cuidar de sua carreira e outros benefícios. Diante desta proposta, Neymar ficou por mais tempo no Santos até sair para o Barcelona.

Laor revelou ainda que, apesar do projeto, Neymar estava a ponto de ir para Londres, e emissários do Chelsea iriam buscá-lo no aeroporto para levá-lo até a casa de um dos diretores para assinar contrato.