icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo
21/03/2014
07:02

Projeto que recentemente completou dez anos, o Colégio Vasco da Gama, que funciona nas dependências de São Januário, desde o fim do ano passado tem sido o centro de uma polêmica interna e pode parar, inclusive, na Justiça. Isto porque, os professores estão completamente insatisfeitos de como Tadeu Correia Silva, conhecido como coronel Tadeu, tem gerido a escola e ameaçam entrar com uma ação coletiva contra o dirigente por assédio moral (Lei Estadual n° 3921) depois de alguns casos.

Tudo começou quando, no fim de 2012, Roberto Dinamite trocou a gestão do colégio, saindo o antigo vice-presidente de esportes olímpicos e responsabilidade social José Pinto Monteiro e passando o comando ao vice-presidente de infanto-juvenil, Tadeu Correia Silva.

Segundo o LANCE!Net apurou, logo após assumir, Tadeu teria enviado um relatório a Dinamite apontando irregularidades no colégio. A intenção seria ter uma maior autonomia na gestão. Ele teria também marcado uma reunião com os funcionários, onde chegou a desclassificar os profissionais. Ainda neste encontro, teria mostrado o salário de alguns professores publicamente (alguns com erros), o que causou constrangimento.

Diante de tudo isso, os professores vêm tentando marcar uma reunião com Roberto Dinamite para conversar e conseguir e retirada de Tadeu. No fim do ano passado, Dinamite recebeu os profissionais, que ouviram uma promessa de que haveria uma conversa entre o mandatário e o vice-presidente.

Logo após o início das aulas, não satisfeito com o fato de os professores terem ido a Dinamite, Tadeu afastou e demitiu alguns de maneira verbal, o que fere as leis trabalhistas e pode fazer com que a instituição educacional pague várias multas.

– Nós não queremos processar o clube, apenas o senhor vice-presidente Tadeu pelo assédio moral ocorrido desde o ano passado aos profissionais – disse um professor, que preferiu não se identificar.

Querendo a cadeira de Dinamite

Esta semana, coronel Tadeu afirmou que será candidato à presidência do Vasco na eleição no meio do ano. Porém, apesar de ser um dos vice-presidentes de Roberto Dinamite, Tadeu garantiu que não terá o apoio do atual mandatário.

Segundo Tadeu, em entrevista à Rádio Globo, o projeto começou após Roberto Dinamite garantir que não viria candidato à reeleição do Cruz-Maltino, o que teria deixado, então, o caminho livre para que esta chapa fosse montada.

Até o momento, além de Tadeu Correia, Roberto Monteiro (vice-presidente do Conselho Deliberativo), Eurico Miranda (presidente do Conselho de Beneméritos) e Nelson Rocha (ex-vice-presidente de finanças) já disseram que serão candidatos.

Ainda há a possibilidade de mais uma chapa ser lançada, com a união entre Fernando Horta, Jorge Salgado e Leonardo Gonçalves, da Cruzada Vascaína.

Lei Estadual 3.921

Veda o assédio moral no trabalho, no âmbito dos órgãos, repartições ou entidades da administração centralizada, autarquias, fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista, do poder legislativo, executivo ou judiciário do Rio de Janeiro, inclusive concessionárias e permissionárias de serviços estaduais de utilidade ou interesse público.