icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro
04/11/2014
09:08

A carreira de Enderson Moreira dirigindo clubes profissionais começou há poucos anos, mas isso não quer dizer que ele já não tenha passado por algumas decisões e provações. O massacre sobre o Botafogo nas quartas de final da Copa do Brasil, já pelo Santos, não foi o único confronto eliminatório do técnico de 43 anos. Até chegar ao duelo contra o Cruzeiro, que será decidido nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, ele já encarou 21 jogos de mata-mata por Fluminense, Goiás, Grêmio e também o Peixe.

No Flu, quando foi interino entre a saída de Muricy Ramalho e a chegada de Abel Braga, eliminações na Taça Rio e nas oitavas de final da Libertadores. Depois, quando assumiu o Goiás, fez seus melhores números com os títulos do Estadual em 2012 e 2013 e levando o surpreendente clube do Centro-Oeste às quartas de final (em 2012) e semifinal (2013) da Copa do Brasil. No torneio do ano passado, Enderson e seu Goiás eliminaram Fluminense e Vasco antes da desclassificação diante do Flamengo, que se sagrou campeão justamente contra o Cruzeiro. O confronto diante do Flu, aliás, traz as melhores lembranças...

O Goiás perdeu o jogo de ida por 1 a 0, no Rio de Janeiro, mas conseguiu a vaga vencendo por 2 a 0 no Serra Dourada. Na semana passada, o Cruzeiro venceu o Peixe pelo mesmo placar magro que Enderson já reverteu em um passado muito recente. Os bons números dão mais esperança.

– Sabemos do poder do Santos na Vila e estou muito confiante de que somos capazes de reverter o placar – disse o treinador, antes da decisão.

Com os números de Flu e Goiás somados aos de Grêmio e Santos, Enderson disputou até hoje 21 confrontos eliminatórios, com seis quedas e 15 resultados positivos, aproveitamento de 71,5%. Virá mais um bom número nesta quarta-feira?