icons.title signature.placeholder Matheus Babo
icons.title signature.placeholder Matheus Babo
17/07/2013
07:27

Nesta terça-feira, diversos torcedores do Fluminense compartilhavam o mesmo vídeo na internet. Era uma pequena história, que mostrava a rotina de um tricolor em dia de jogo do clube no Maracanã, ideia do diretor da produtora independente Casa7Rio, Bruno Cysne e do fotógrafo Pedro Faerstein.

Bruno criou a música que serve com áudio do vídeo e dali surgiu a ideia de torná-la um clipe. Foi aí que juntou um grupo de amigos tricolores e fez com que o projeto saísse do papel. Segundo o diretor, todos trabalharam no "amor à camisa" e o objetivo principal do vídeo era realmente convocar a torcida a comparecer ao Maracanã domingo.

- Aos 7 anos de idade, meu pai me levou ao Maraca e de lá pra cá foram 35 anos frequentando toda semana. Tentei passar também o nervosismo que antecede os jogos importantes - explicou, lembrando que preferiu não ir ao Maracanã durante a Copa das Confederações para retornar ao estádio em um jogo do Fluminense:

- Não quis ir ao Maraca nos jogos do Brasil para voltar pra casa com o Fluzão. Mesmo na final, com o Fred em campo, não me motivou o suficiente para o retorno. Se eu soubesse que ele iria fazer dois gols, talvez eu tivesse ido - brincou Bruno.

Nesta terça-feira, diversos torcedores do Fluminense compartilhavam o mesmo vídeo na internet. Era uma pequena história, que mostrava a rotina de um tricolor em dia de jogo do clube no Maracanã, ideia do diretor da produtora independente Casa7Rio, Bruno Cysne e do fotógrafo Pedro Faerstein.

Bruno criou a música que serve com áudio do vídeo e dali surgiu a ideia de torná-la um clipe. Foi aí que juntou um grupo de amigos tricolores e fez com que o projeto saísse do papel. Segundo o diretor, todos trabalharam no "amor à camisa" e o objetivo principal do vídeo era realmente convocar a torcida a comparecer ao Maracanã domingo.

- Aos 7 anos de idade, meu pai me levou ao Maraca e de lá pra cá foram 35 anos frequentando toda semana. Tentei passar também o nervosismo que antecede os jogos importantes - explicou, lembrando que preferiu não ir ao Maracanã durante a Copa das Confederações para retornar ao estádio em um jogo do Fluminense:

- Não quis ir ao Maraca nos jogos do Brasil para voltar pra casa com o Fluzão. Mesmo na final, com o Fred em campo, não me motivou o suficiente para o retorno. Se eu soubesse que ele iria fazer dois gols, talvez eu tivesse ido - brincou Bruno.