icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/12/2013
16:29

A confirmação de que o Vasco irá entrar com uma ação, na Justiça Desportiva, para tentar ganhar os pontos da partida contra o Atlético-PR, no último domingo, que ficou paralisada por 71 minutos, extrapolando, assim, o limite previsto pelo regulamento do Campeonato Brasileiro, não gerou só revolta nos times envolvidos. O procurador-geral do STJD, Paulo Schmidt, também demonstrou insatisfação com a decisão do clube cruz-maltino:

- O que aconteceu dá margem para o placar mudar para 3 a 0? Convenhamos! Isso é problema do Vasco, não é problema meu. A Procuradoria não vai se mover um milímetro para dar margem de que o resultado em campo seja modificado. Não vou cair no ridículo de fazer isso. Se o árbitro (Ricardo Marques Ribeiro) errou é outra coisa - disse o procurador ao Terra.

Se ganhar a ação e os três pontos do jogo, o Vasco escapa do rebaixamento e empurra o Criciúma para a degola. Por isso, Paulo Schmidt acredita que essa atitude seja uma última tentativa de tentar se livrar da Série B:

- É uma análise pessoal minha. Está parecendo desespero do Vasco. Vamos somar quantas vezes o Vasco entrou atrasado em campo nos inícios de partidas, foi punido e nem por isso o jogo acabou em 3 a 0. Estão forçando a barra - disse Paulo Schmdit, que ainda acredita que só um grave erro de direito poderia mudar o placar do jogo e que não não punição programada para casos como o do último domingo:

- Sssa questão de placar por 3 a 0 é para casos diferentes. Como se uma equipe causa a interrupção de um jogo, não pode seguir, faz um cai-cai e fica com seis jogadores.