icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/11/2014
18:54

A confusão generalizada ocorrida na partida entre Londrina e Brasil de Pelotas, no duelo de volta das semifinais da Série D do Brasileirão, rendeu um longo relatório por parte do árbitro Eduardo Tomaz de Aquino Valadão na súmula do jogo e a procuradoria do STJD já começou a se mexer para punir os envolvidos.

Há em estudo a possibilidade de emissão de um pedido de suspensão preventiva dos envolvidos na briga, que interrompeu o segundo tempo da partida por 22 minutos.

– Essa pancadaria e violência entre atletas, dirigentes, e até torcedores nas arquibancadas merece uma pronta resposta. Suspensões preventivas devem ser avaliadas para requerimento urgente à medida que a equipe tem compromissos com partidas finais – avisou o procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt.

O árbitro, que não soube identificar quem começou a pancadaria, expulsou jogadores e integrantes da comissão técnica de ambos os times. Os clubes devem ser punidos com base no artigo 213 do CBJD, que aborda “desordens na praça de desporto”. As pessoas físicas devem enquadradas no artigo 254-A (agressão física). Mas a procuradoria ainda não finalizou a denúncia ou confirmou os artigos para encaminhar o caso a julgamento.

– Estamos analisando imagens e fazendo uma varredura nos principais sites e redes de TV. Iremos identificar e denunciar com rigor todas as infrações requerendo desde logo o relatório da arbitragem e do delegado da partida. Também vamos tentar obter os documentos das autoridades policiais e delegacia – completou Schmitt.

Depois da confusão toda, o jogo acabou 2 a 2 e quem se classificou à decisão foi o Brasil de Pelotas, que vai enfrentar o Tombense (MG).