icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/04/2014
07:29

Everton Costa só daqui a seis meses, Edmilson ainda no departamento médico, Reginaldo com contrato para vencer logo no início da Copa do Mundo, Thalles ainda uma promessa, William Barbio não se firmou e Bernardo, que poderia ser uma luz no fim do túnel, não é aproveitado pelo técnico Adilson Batista, que também não se encantou com Montoya. Este é o panorama do ataque vascaíno.

Para o Carioca, a diretoria não conseguiu um jogador para a posição e disse que ele viria para a disputa do Brasileiro da Série B – que começou com um tropeço dentro de casa – e da Copa do Brasil, mas até agora nada. Embora estrategicamente diga que não há desespero – evitando assim passar recibo para a torcida –, a diretoria está à procura de um artilheiro.

– Não há uma urgência. Já tínhamos uma reunião marcada, coisa de rotina mesmo, para avaliar o elenco. Não há uma data para esse encontro. É óbvio que nós vamos procurar um jogador para suprir essa ausência do Everton – afirmou o diretor executivo de futebol, Rodrigo Caetano.

Caso Rodrigo Caetano não solucione imediatamente o problema do ataque – embora efetivamente já esteja trabalhando no Vasco desde janeiro – Adilson Batista pode lançar mão de outras promessas da base, como Marquinhos do Sul e Yago.

André Rocha demonstra preocupação com Everton Costa