icons.title signature.placeholder Serviço de Atendimento ao Torcedor (SAT)
icons.title signature.placeholder Serviço de Atendimento ao Torcedor (SAT)
23/07/2013
16:57

Desde a sexta rodada do Brasileirão quem quiser acompanhar o Atlético-PR de perto tem de desembolsar, no mínimo, R$ 150. Este valor também está sendo cobrado aos visitantes, como aconteceu na partida do último domingo diante do Corinthians, pelo Brasileirão. Devido ao aumento - antes custava R$ 100 - o Procon do estado do Paraná notificou o clube e pediu explicações.

A justificativa da equipe paranaense foi apresentada nesta terça-feira. O Furacão diz que com as obras da Arena da Baixada e o baixo número de novas adesões no plano de sócios foi necessário esse aumento, já que, teve, inclusive, alugar um estádio para ceder os jogos do Campeonato Brasileiro.



O Atlético-PR foi notificado na última semana e teve dez dias para apresentar uma defesa. Após a justificativa, o caso passa para análise do parecer jurídico do Procon-PR que verifica se houve ou não violação dos direitos do consumidor. Constatada a irregularidade, o Furacão fica sujeito a pagar uma multa que varia de R$ 400 a R$ 6 milhões.

- O Procon entende como uma prática abusiva o aumento de 50% nos valores dos ingressos. O processo está em curso e já foi apresentada a defesa por parte do Atlético-PR, a mesma, encontra-se em processo de análise - disse ao LANCE!Net, a diretora do Procon-PR, Cláudia Silvano.

A medida foi muito contestada por grande parte da torcida paranaense. Pela nova tabela rubro-negra, a arquibancada descoberta custa R$ 150, a área coberta R$ 200 e os camarotes R$ 300.

No empate diante do Corinthians, no último domingo, os torcedores, que além de arcarem com os custos da nova tabela de preços imposta pela diretoria do Furacão, tiveram também de enfrentar os problemas da Vila Capanema. Muitos deles, que pagaram pelo único setor coberto do estádio, tiveram de lidar com goteiras e verdadeiras cascatas d'água que se formaram ao longo dos 90 minutos da partida.

A assessoria de imprensa do Atlético foi procurada pelo LANCE!Net, mas não atendeu as ligações.

Veja trecho da justificativa do Atlético-PR ao Procon do Paraná:

"Contudo, repita-se que não há qualquer irregularidade ou ilicitude na maiolilgão do valor dos ingressos. O que ocorre, na verdade, é que com as obras no Estádio Joaquim Américo para a Copa do Mundo, o CLUBE ATLÉTICO teve de buscar outros estádios para sediar as partidas de futebol. Com isso, nasceram novos custos associados, o que justificou o encarecimento no preço dos ingressos.

Ressalte-se que o regulamento do Campeonato Brasileiro da Série A exige que os clubes sediem suas partidas em estádios com capacidade superior a 15 mil pessoas. Como decorrência, o CLUBE ATLÉTICO selou um acordo com o Paraná Clube para sediar seus jogos na Vila Capanema, que prevê valor significativo como remuneração pela locação para a utilização do estádio.

Com vistas a fazer frente também com os inevitáveis custos da locação do estádio, não houve alternativa para o CLUBE ATLÉTICO a não ser tomar algumas providências para angariar fundos, tendo em vista a baixa taxa de novas associações ao clube e os investimentos realizados na obra do Estádio Joaquim Américo.

E as providencias tomadas foram as seguintes: (i) ingressos avulsos para os setores de arquibancadas da Vila Capanema ao valor de R$ 150,00 e (ii) ingressos para camarotes no valor de R$ 300,00 por pessoa. Não há, assim, qualquer abusividade na majoração de preços praticada. Trata-se de incremento devidamente justificado em face de mudança no circunstancial fático."

Desde a sexta rodada do Brasileirão quem quiser acompanhar o Atlético-PR de perto tem de desembolsar, no mínimo, R$ 150. Este valor também está sendo cobrado aos visitantes, como aconteceu na partida do último domingo diante do Corinthians, pelo Brasileirão. Devido ao aumento - antes custava R$ 100 - o Procon do estado do Paraná notificou o clube e pediu explicações.

A justificativa da equipe paranaense foi apresentada nesta terça-feira. O Furacão diz que com as obras da Arena da Baixada e o baixo número de novas adesões no plano de sócios foi necessário esse aumento, já que, teve, inclusive, alugar um estádio para ceder os jogos do Campeonato Brasileiro.



O Atlético-PR foi notificado na última semana e teve dez dias para apresentar uma defesa. Após a justificativa, o caso passa para análise do parecer jurídico do Procon-PR que verifica se houve ou não violação dos direitos do consumidor. Constatada a irregularidade, o Furacão fica sujeito a pagar uma multa que varia de R$ 400 a R$ 6 milhões.

- O Procon entende como uma prática abusiva o aumento de 50% nos valores dos ingressos. O processo está em curso e já foi apresentada a defesa por parte do Atlético-PR, a mesma, encontra-se em processo de análise - disse ao LANCE!Net, a diretora do Procon-PR, Cláudia Silvano.

A medida foi muito contestada por grande parte da torcida paranaense. Pela nova tabela rubro-negra, a arquibancada descoberta custa R$ 150, a área coberta R$ 200 e os camarotes R$ 300.

No empate diante do Corinthians, no último domingo, os torcedores, que além de arcarem com os custos da nova tabela de preços imposta pela diretoria do Furacão, tiveram também de enfrentar os problemas da Vila Capanema. Muitos deles, que pagaram pelo único setor coberto do estádio, tiveram de lidar com goteiras e verdadeiras cascatas d'água que se formaram ao longo dos 90 minutos da partida.

A assessoria de imprensa do Atlético foi procurada pelo LANCE!Net, mas não atendeu as ligações.

Veja trecho da justificativa do Atlético-PR ao Procon do Paraná:

"Contudo, repita-se que não há qualquer irregularidade ou ilicitude na maiolilgão do valor dos ingressos. O que ocorre, na verdade, é que com as obras no Estádio Joaquim Américo para a Copa do Mundo, o CLUBE ATLÉTICO teve de buscar outros estádios para sediar as partidas de futebol. Com isso, nasceram novos custos associados, o que justificou o encarecimento no preço dos ingressos.

Ressalte-se que o regulamento do Campeonato Brasileiro da Série A exige que os clubes sediem suas partidas em estádios com capacidade superior a 15 mil pessoas. Como decorrência, o CLUBE ATLÉTICO selou um acordo com o Paraná Clube para sediar seus jogos na Vila Capanema, que prevê valor significativo como remuneração pela locação para a utilização do estádio.

Com vistas a fazer frente também com os inevitáveis custos da locação do estádio, não houve alternativa para o CLUBE ATLÉTICO a não ser tomar algumas providências para angariar fundos, tendo em vista a baixa taxa de novas associações ao clube e os investimentos realizados na obra do Estádio Joaquim Américo.

E as providencias tomadas foram as seguintes: (i) ingressos avulsos para os setores de arquibancadas da Vila Capanema ao valor de R$ 150,00 e (ii) ingressos para camarotes no valor de R$ 300,00 por pessoa. Não há, assim, qualquer abusividade na majoração de preços praticada. Trata-se de incremento devidamente justificado em face de mudança no circunstancial fático."