icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/06/2014
18:15

O primeiro passo para que goleiro Bruno volte a atuar em um futuro próximo, na visão dos seus advogados, foi alcançado nesta terça-feira, mesmo dia e que o diário catalão "Mundo Deportivo" destacou o fato de ele, com qualidades para figurar na Seleção Brasileira, estar preso. O Diário Oficial de Minas Gerais publicou a decisão da Justiça que autoriza a transferência do jogador para a Penitenciária do município de Francisco Sá, localizada a 40 km de Montes Claros, cidade do Montes Claros Futebol Clube, equipe com a qual Bruno firmou vínculo no dia 28 de fevereiro deste ano.

Bruno é detento da Penitenciária Nelson Hungria, localizada em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, desde o dia 7 de julho de 2010. Ele foi condenado a 22 anos e três meses de prisão, no dia 8 de março de 2013, pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, sequestro e cárcere privado da modelo Eliza Samudio e de Bruninho, o seu filho.

A transferência de Bruno acontecerá dentro de 20 dias e a data exata não será revelada pela Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), por medida de segurança. Assim que ele for transferido, os advogados de defesa do goleiro, Francisco Simim e Thiago Lenoir, tentarão, com base nos artigos 36 e 37 da Lei de Execução Penal, inseridas na Seção III, que ele possa realizar um trabalho externo, que, no caso, será treinar no Montes Claros.

– Essa decisão (transferência) foi muito importante. Estamos comemorando. Foi o primeiro passo para que o Bruno consiga esse trabalho externo, que é o nosso grande objetivo. Antes, com o Bruno em Contagem, isso seria inviável – disse Thiago Leonir, ao LANCE!Net.

O artigo 36 diz que: "O trabalho externo será admissível para os presos em regime fechado somente em serviço ou obras públicas realizadas por órgãos da Administração Direta ou Indireta, ou entidades privadas, desde que tomadas as cautelas contra a fuga e em favor da disciplina". Já o artigo 37 fala em "A prestação de trabalho externo, a ser autorizada pela direção do estabelecimento, dependerá de aptidão, disciplina e responsabilidade, além do cumprimento mínimo de 1/6 (um sexto) da pena".

Como o Montes Claros Futebol Clube se enquadra como uma entidade privada e Bruno já cumpriu um sexto da pena, os seus advogados acreditam em uma autorização para que ele possa treinar pelo clube. O vínculo do goleiro com o Montes Claros é válido até 27 de fevereiro de 2019.

Além de tentarem viabilizar esse trabalho externo para Bruno, os advogados do goleiro acreditam ele consigará uma progressão de regime (fechado, o atual, para semiaberto), baseado em um recurso que ainda será julgado.

O Montes Claros chegou a se classificar para o Hexagonal final do Módulo II do Campeonato Mineiro, mas não conquistou o acesso, terminando na quinta colocação. O time só voltará a atuar novamente no Módulo II da próxima temporada.