icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/11/2013
00:55

Depois de viajar à Argentina e se assustar com a pedida salarial de Marcelo Bielsa, antiga prioridade do Palmeiras para o ano do centenário, o diretor-executivo José Carlos Brunoro disse que a intenção do clube é renovar o vínculo de Gilson Kleina, que vence em dezembro. O técnico, no entanto, deixou transparecer abatimento por ter sido preterido e já não fala com o mesmo entusiasmo sobre a possível negociação.

- A gente respeita qualquer decisão, tem que ter transparência, conversa. Não sei te dizer se é decepção, que sentimento é, temos que mobilizar pelo Palmeiras. Independentemente se fui preterido ou não. Se não tiver minha sequência, o profissional que chegar aqui saberá que a linha é forte, com o risco de erro ser menor - disse o comandante, que antes declarava grande vontade de permanecer e dava a entender que as conversas seriam simples.

Paulo Nobre prometeu, logo após a confirmação do acesso, em 26 de outubro, que chamaria o atual comandante para conversar na mesma semana. O primeiro papo entre as partes, porém, só foi acontecer pouco antes da viagem a Belém, onde a equipe perdeu por 1 a 0 do Paysandu e viu o título da Série B ser adiado. À essa altura, Bielsa já havia sido ouvido.

- Não sabia que tinham ido atrás de ninguém, conversamos preliminarmente ontem (segunda-feira). O Brunoro vive viajando, ele é um diretor muito antenado, está no mercado. Não é da minha responsabilidade o deslocamento dele. Sempre foi sincero, colocou as situações. Nessa reunião, o primeiro tópico que colocaram foi a conversa com outro profissional. Agora vêm meus ideais, para ver se batem - acrescentou.