icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena e Rafael Bullara
20/11/2013
07:00

Rogério Ceni escreverá mais uma página histórica de sua biografia nesta quarta-feira, às 21h50, contra a Ponte Preta. O Morumbi estará lotado não só porque o São Paulo começará a brigar por uma vaga na final da Sul-Americana, mas também porque o ídolo chegará aos 1.116 jogos pelo clube, igualando Pelé como o atleta que mais jogou por uma mesma equipe brasileira. Procurado pelo LANCE!Net, o Rei rasgou elogios.

- Isso é realmente um exemplo de fidelidade à sua equipe, coisas que nós não vemos nos dias de hoje porque os interesses financeiros estão acima de tudo, e principalmente porque os jogadores estão nas mãos de empresários e eles querem negociá-los quantas vezes puderem. Eu joguei toda a minha carreira no Santos e só fui promover o futebol nos Estados Unidos com o Cosmos, depois de ter me despedido do Santos. Parabéns, Rogério! E que Deus te proteja - disse Pelé.

Poupado no fim de semana, quando os reservas do Tricolor perderam para o Fluminense, pelo Brasileiro, Ceni estará de volta para viver mais uma noite memorável. Uma vitória deixará o clube perto de uma decisão que, mais do que um título continental, valerá ao São Paulo a oportunidade de disputar a Libertadores.

No clube desde 7 de setembro de 1990, o capitão não precisa mais de título ou recorde nenhum para encerrar a carreira – provavelmente em dezembro – como ídolo máximo dos são-paulinos. Ele já ganhou Paulistão, Libertadores, Mundial, Brasileiro, Sul-Americana e vários outros torneios, alguns mais de uma vez. Já é o maior goleiro-artilheiro do mundo, o capitão mais longevo do São Paulo, o jogador que mais jogou no Morumbi e o maior artilheiro do clube na Libertadores, só para citar algumas de suas marcas. Mesmo assim, não consegue descansar...

- Minha dedicação foi 100% em todos os dias. Você conta nos dedos de uma mão os dias em que cheguei atrasado, as partidas de que fiquei fora. Nunca me acomodei, sempre quis mais - comentou o goleiro, que fará 41 anos em janeiro de 2014.

Ainda sem anunciar se para no fim do ano ou renova seu contrato, Rogério, mais do que nunca, vai a campo como se fosse fazer o último jogo da vida. Além dos dois confrontos da semifinal, o São Paulo tem garantidas mais três jogos do Brasileiro. Vencer hoje significa, também, ter a chance de repetir mais vezes o ritual já visto em 1.115 ocasiões até aqui. Vida longa ao rei.