icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira e Paulo Victor Reis
icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira e Paulo Victor Reis
27/07/2013
08:13

Ao pisar no Maracanã, no domingo, para o reencontro com o estádio onde passou grande parte da vida, o técnico Oswaldo de Oliveira estabelecerá uma marca bastante expressiva no Botafogo. Afinal, o clássico contra o Flamengo será a centésima partida dele no comando do Alvinegro.

Oswaldo treinou os quatro grandes clubes do Rio de Janeiro, mas a cada dia que passa se identifica mais com o clube, na segunda passagem por General Severiano – foi preparador físico em 1980. Ao LANCE!Net, ele afirmou que gostaria bastante de ficar eternizado como o "Oswaldo do Botafogo" ao encerrar a carreira.

– Na verdade, ainda acho muito cedo para pensar em fim de carreira. Estou muito novo ainda (risos). Mas gostaria muito. Gosto muito do clube. Se acontecer, ficarei muito feliz – disse Oswaldo.

E MAIS:

> Oswaldo ignora tabu contra o Fla pelo Brasileiro e fala em volta à liderança
> Clássico Flamengo e Botafogo já tem 32 mil ingressos vendidos
> Com apenas Vitinho de titular, Oswaldo comanda coletivo com os reservas

Mas se a relação de Oswaldo com o clube sempre foi boa, com a torcida ela demorou a se estabilizar. No Brasileiro-2012, ele quase foi demitido devido às críticas da arquibancada, mas ganhou um voto de confiança.

Mantido, levou o time ao título estadual deste ano e entrou em lua de mel com a torcida. E, talvez por isso, elegeu a vitória sobre o Fluminense como um dos jogos mais marcantes da passagem até aqui.

– É difícil escolher. Tive alguns bem importantes. É claro que a final da Taça Rio contra o Fluminense, em Volta Redonda, foi um jogo muito importante.

E, para comemorar, nada melhor do que uma vitória no domingo contra o maior rival.

100 jogos no Botafogo: conheça um pouco do dialeto Oswaldês

Ao pisar no Maracanã, no domingo, para o reencontro com o estádio onde passou grande parte da vida, o técnico Oswaldo de Oliveira estabelecerá uma marca bastante expressiva no Botafogo. Afinal, o clássico contra o Flamengo será a centésima partida dele no comando do Alvinegro.

Oswaldo treinou os quatro grandes clubes do Rio de Janeiro, mas a cada dia que passa se identifica mais com o clube, na segunda passagem por General Severiano – foi preparador físico em 1980. Ao LANCE!Net, ele afirmou que gostaria bastante de ficar eternizado como o "Oswaldo do Botafogo" ao encerrar a carreira.

– Na verdade, ainda acho muito cedo para pensar em fim de carreira. Estou muito novo ainda (risos). Mas gostaria muito. Gosto muito do clube. Se acontecer, ficarei muito feliz – disse Oswaldo.

E MAIS:

> Oswaldo ignora tabu contra o Fla pelo Brasileiro e fala em volta à liderança
> Clássico Flamengo e Botafogo já tem 32 mil ingressos vendidos
> Com apenas Vitinho de titular, Oswaldo comanda coletivo com os reservas

Mas se a relação de Oswaldo com o clube sempre foi boa, com a torcida ela demorou a se estabilizar. No Brasileiro-2012, ele quase foi demitido devido às críticas da arquibancada, mas ganhou um voto de confiança.

Mantido, levou o time ao título estadual deste ano e entrou em lua de mel com a torcida. E, talvez por isso, elegeu a vitória sobre o Fluminense como um dos jogos mais marcantes da passagem até aqui.

– É difícil escolher. Tive alguns bem importantes. É claro que a final da Taça Rio contra o Fluminense, em Volta Redonda, foi um jogo muito importante.

E, para comemorar, nada melhor do que uma vitória no domingo contra o maior rival.

100 jogos no Botafogo: conheça um pouco do dialeto Oswaldês