icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/03/2014
14:57

Motivado pelos episódios de violência durante a partida entre Nacional e Newell's Old Boys, na última quarta-feira, pela Copa Libertadores, o presidente do Uruguai, José Mujica, tomou uma decisão incomum: retirou a policiamento do Centenário e do Parque Central, estádios onde os dois grandes da capital mandam os seus jogos.

O confronto entre torcedores argentinos e uruguaios resultou em 26 policiais feridos, cena observada pelo presidente charrua.

- Parece que temos que separar os torcedores como se fôssemos leprosos. É possível tanta barbárie num esporte? Temos que frear o delito, a reação em bando e o primitivismo.

E MAIS

HOME: Veja as últimas notícias do futebol internacional
Chefe da barra-brava do Independiente quer presidir o clube

A ordem de Mujica paralisa a liga local. A Associação Uruguaia de Futebol (federação do país) não prevê partidas sem efetivo policial, pois, segundo a entidade, não garantem a segurança de jogadores, espectadores e trabalhadores.

Mujica, então, terá uma reunião com a AUF e com Peñarol e Nacional. O presidente pressionará os dois grandes do país a identificarem os brigões e afastá-los dos estádios. Caso os clubes não consigam deter os barra-bravas, o representante do poder Executivo ameaçou fechar os portões do Centenário e do Parque Central.

- Os grandes são os primeiros que devem reagir pois representam 90% do país - completou.